terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Convictors: Envoys of Extinction



Death Metal


A Alemanha consegue manter uma força muito gigantesca dentro do mundo do Metal, e uma das bandas que consegue aparecer no ano de 2014 com um lançamento excelente é a Convictors.

Um Death Metal bem feito é sempre bom de escutar, mas a pedrada que é construída por essa banda com esse álbum é realmente muito interessante.

A primeira música do álbum é a “Preparedness 101” e ela consegue logo de cara mostrar uma qualidade que a banda vai conseguir manter pelo álbum todo, a qualidade incrível do baixo totalmente destruidor, uma música excelente que tem uma bateria muito rápida e que não deixa faltar nada, uma velocidade interessante e que não peca em nada.

As características desse gênero estão muito vivas dentro do trabalho da banda e a segunda música mostra bem isso.

Intitulada “Epitome of Decay” a bateria consegue mostrar uma velocidade e um tanto seco em determinados momentos a sonoridade, a guitarra tem uma sonoridade muito clássica do Death Metal rústico da alma dos Deuses do sangue, realmente essa banda surpreende com seu primeiro lançamento, a banda conta com um gutural muito bem feito, um gutural da melhor qualidade que tem profundidade e muita fúria, um vocal digno para essa banda.

Angel of Impurity também consegue mostrar a sonoridade rústica da banda, mas diferente das anteriores ela carrega uma melodia ainda mais interessante e o baixo dessa música é sensacional, tudo tão bem trabalhado que ela gruda em sua mente de forma destruidora, uma música incrível que é provavelmente a arma que faz você querer escutar mais e mais do trabalho da Convictors, uma banda que nasceu para ficar no Death Metal sem deixar faltar nada.

O Death Metal e o Brutal Death Metal apostam bastante na questão da introdução, e a faixa “Let Malevolance Arise” tem uma sonoridade totalmente destruidora, como se você estivesse sendo esmagado por um martelo e assim que seu corpo está molhado de sangue, você é totalmente retalhado, uma música absurdamente Death Metal, uma bateria muito densa e um baixo que consegue ganhar vida sem faltar nada nele.

A música mais rústica da banda é a Proclivity, que tem totalmente uma destruição em sua atmosfera, uma música muito rápida e de riffs violentos, um nascimento que faz do álbum ainda mais pesado, ainda mais completo, a banda tem uma alma de Death Metal e isso faz dela ainda melhor, ela consegue trabalhar muito bem com tudo que tem.

A Alemanha realmente sabe fazer um artista ter a base e consegue fazer o artista ou banda crescer de forma interessante, fazendo com que tudo seja ainda mais impactante e o trabalho dessa banda é realmente formidável, uma bateria que sabe destruir tudo que está em seu caminho, uma guitarra que consegue criar tudo que existe de clássico e de atual no mundo Death Metal, uma música melhor que a outra fazendo desse álbum um lançamento realmente impactante e fazendo do ano de 2014 ser ainda mais completo, ainda mais denso e sangrento.

Convictors tem uma carreira antiga, porem, poucos lançamentos, a banda foi criada em 1986, mas deu uma pausa em suas atividades em 1987, conseguindo o seu retorno apenas em 2008 com uma sensacional forma de pensar e com uma técnica muito potente para executar as músicas.

Encerrando o álbum com a “Fragments (Incl. Hidden Track)” uma música que tem apenas 13 minutos, uma música que consegue ter 13 minutos e não ser cansativa mostra realmente como a banda é boa, como ela sabe trabalhar dentro da brutalidade e sabe explorar tudo dos instrumentos e do vocal.



Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário