segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

D.A.M: The Awakening


Melodic Death Metal



O Brasil apresenta para o mundo a banda que está conseguindo romper todas as barreiras, D.A.M, a banda que traz o puro Melodic Death Metal.

A banda mesmo sendo nova, tem um empenho e uma técnica de outro mundo, o seu último lançamento intitulado “The Awakening” mostra todo o lado mais trabalhado da banda, e deixa claro que o nome D.A.M não será esquecido.

Começando o trabalho da banda com a música “From the Ashes(T.J.O.T.F)”  que é uma faixa impecável, o começo totalmente atmosférico te faz imaginar que está entrando em um castelo totalmente obscuro, a banda sabe trabalhar muito bem com tudo que tem em mãos, mas sempre colocando o Melodic Death Metal em destaque, a voz de peito aparece na música mostrando um novo lado da banda,  a voz de peito combina perfeitamente com a sonoridade, mas o gutural ainda existe e ele predomina.

The Great Work (Magnum Opus Pt I) tem uma introdução muito atmosférica também, o trabalho dessa banda é magnífico e consegue surpreender, o Melodic Death Metal está muito vivo nessa faixa e lembrando em alguns momentos até o Power Metal pela velocidade do teclado, uma música melhor que a outra, mas essa consegue trazer um vocal mais rasgado e em alguns momentos com mais peso, dando uma característica ainda mais agradável para a música, a voz de peito é explorada também, e quando ela aparece a sonoridade se torna ainda mais Power Metal.

Reborn from the Shadows aparece com uma sonoridade um tanto mais pesada, um tanto mais Melodic Death Metal, é complicado dizer qual é a melhor música do “The Awakening”, porem, essa faixa é uma das fortes para ganhar o título da melhor faixa, afinal, ela tem tudo, potência, velocidade e muita técnica e consegue mostrar um brilho dentro do caos.

D.A.M consegue em todos os lançamentos mostrar uma cara nova, mas sempre com a característica marcante do teclado sempre muito explorado, um vocal totalmente único que não é extremamente pesado, mas sempre combinando perfeitamente com a sonoridade do instrumental, a bateria da banda é sempre muito bem trabalhada, em alguns momentos trazendo o lado mais rústico com batidas violentas sem piedade e em outros momentos com muita velocidade, uma b anda que não deixa faltar nada, você assim que escuta consegue entrar no mesmo sentimento da banda, a euforia que está dentro de cada um.

Se existe alguma dificuldade em escutar o baixo em algumas banda, então no D.A.M não existe essa dificuldade, o baixo é sempre muito bem trabalhado e consegue fazer você entrar em uma onda alucinante, a faixa “Lies” deixa muito nítido o som do baixo, mas ele não some com a sonoridade dos outros instrumentos, uma vantagem que a banda sabe trabalhar, ela consegue deixar um espaço para cada instrumento e isso é sempre impactante, sempre importante, e nessa faixa a banda consegue mostrar um lado mais cadenciado, uma música sensacional que é marcante, a mescla entre voz de peito e gutural faz da faixa ainda mais grudenta, esse é sem dúvidas o trabalho mais grudento da banda, mas isso não é ruim, afinal, música boa se uma vez em sua mente ela só vai fazer melhorias.

The Breaking Point(T.M.S pt IV) começa com muita energia, uma música que não perde tempo, o gutural está um pouco mais fechado, bem mais potente que o anterior, o instrumental está muito mais pesado, uma música que não tem frescura e conta com um teclado ao fundo que faz você querer escutar mais e mais do trabalho da banda, uma das melhores faixas do álbum.

The Awakening a faixa título, começa um tanto mais carregada que as anteriores, mas assim que entra o instrumental conseguimos notar a energia que não tem fim, uma música excelente que merece estar carregando o título do álbum, o teclado da banda consegue deixar épico o som da banda, uma musica muito bem trabalhada.

Para encerrar o “The Awakening” a banda escolheu a faixa “Thelema” que tem um peso muito interessante, um peso que consegue trazer muito brilho ao mesmo tempo, a faixa encerra o lançamento da forma mais magnífica possível, uma música melhor que a outra, isso é ser D.A.M, é saber trabalhar com qualidade e sempre conseguindo superar as expectativas.




Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário