sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Caliban: Ghost Empire



Metalcore


A Alemanha sempre conseguiu mostrar grandes nomes do Metal, isso dentro de todos os gêneros praticamente e o Metalcore não ficou de fora quando o assunto é carregar a bandeira do país com toda qualidade do mundo.

Uma das bandas mais consagradas do Metalcore consegue aparecer trazendo uma obra prima intitulada “Ghost Empire” que saiu via Century Media Records.

Ghost Empire é o novo lançamento da banda Caliban, uma banda potente e que não tem frescura em momento algum, o gutural é bem feito, a voz de peito tem um timbre excelente, uma música melhor que a outra, esse álbum tem o poder de fazer você querer escutar mais e mais do trabalho da banda.

Começando de forma impactante e destruidora, a banda coloca a música “King” sem medo, a música é sensacional e logo de cara consegue deixar o Metalcore vivo por completo, mas com o peso que só essa banda sabe utilizar, uma guitarra que tem total poder e que consegue fazer a melodia ser grudenta e em alguns momentos bem mais pesada, a energia que é colocada no vocal é algo realmente admirável, a banda consegue fazer com todo o amor possível o trabalho que está criando.

Chaos ‐ Creation tem uma cadência maior, você consegue sentir seu cérebro tremendo, uma nebulosa que o baixo consegue criar, uma música que junto do vocal um pouco mais rasgado combinou perfeitamente, mais uma vez a banda consegue ser sensacional e mostrar que seu trabalho é diferenciado.

A velocidade da bateria e peso aparecem de forma destruidora na música “Wolves And Rats” que tem uma energia impactante do começo ao fim, você consegue escutar e assim que você escuta sua alma começa a entrar em um mundo de puro caos em que você é o único que pode mudar as coisas, mas diferente disso você não quer a paz, você quer viver do caos que a música transmite para seu coração.

Good Man, uma faixa que mostra um lado diferente, mas que não poderia faltar já que o assunto é Metalcore, a banda consegue colocar um começo bem melancólico, bem triste e solitário, uma bateria rápida sem apostar muito no peso absurdo, um violão trabalhando para dar uma atmosfera um tanto mais triste e ele de fato consegue, o teclado aparece trazendo uma atmosfera também muito melancólica, a voz de peito é perfeita para a faixa e consegue fazer você entrar no mundo criado por Caliban, mas não se engane a música muda todo o cenário e começa a se tornar mais pesada ao caminhar da música, uma faixa impecável.

Pegando ainda uma característica muito forte do Metalcore que é o trabalho entre a voz de peito e o gutural, a banda consegue mesclar muito bem, a voz se torna cada vez mais rasgada e a voz de peito ganha muito espaço na faixa “I Am Rebellion”, mas diferente de muitas bandas, essa não aposta em uma voz de peito fraca, a qualidade da voz de peito é sensacional e consegue dar um clima diferenciado para a faixa que se torna uma faixa importante dentro do álbum para conseguir prender mais e mais da sua mente para nunca esquecer esse ótimo lançamento.

Se a banda é uma das principais do mundo do Metalcore, ela não poderia deixar de conhecer a outra banda que também domina o Metalcore que é a magnífica banda Trivium, e a faixa intitulada “Falling Downwards (feat. Matt Heafy of Trivium)” é provavelmente a melhor do álbum, uma música que não deixa faltar absolutamente nada.

A música “Falling Downwards” tem um clima de dor, uma música que consegue mostrar todo o sentimento da banda, a sonoridade dela é diferente, tem muita criatividade, todos os instrumentos aparecem da melhor forma possível, uma música melhor que a outra para fazer o álbum ser sempre lembrado e encerrar com a participação do sensacional Matt Heafy é para mostrar que seu trabalho realmente é de outro mundo.



Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário