quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Atena: Of Giants



Progressive Deathcore


O Deathcore aparece trazendo bandas excelentes, sempre com uma técnica potente e uma sonoridade quebrada que consegue fazer sua alma sentir o arrepio de novos dias.

Juntando o Deathcore com o Progressive as bandas conseguem chegar ao limite da criação magnífica, o limite de algo sensacional e criativo que faz com que você entre em um mundo diferente, você consegue achar a noite dentro de sua alma.

A banda Atena conseguiu chegar com seu álbum intitulado “Of Giants” com a melhor sonoridade possível, a sonoridade mais magnífica e bonita possível, sim, é possível colocar o peso e a destruição, junto do brilho de uma nova vida.

A primeira música do álbum é intitulada “Lullaby” uma introdução de pura atmosfera, puro clima progressivo e que da melhor forma possível abre o álbum com muita energia e brilho.

Segunda música intitulada “Of giants” é uma faixa bem curta que é quase uma seqüência grudada do que é a primeira música, mas diferente da anterior, essa faixa não é instrumental e ela conta com o choro de crianças ao fundo, e a bateria apresenta sua velocidade da forma mais interessante possível, traduzindo o que é o som da banda.

Começando com as faixas agora com uma duração maior, aparece à música “Kids” que tem uma bateria muito interessante e rápida a banda consegue colocar todas as características do Deathcore e conseguindo juntar com o Progressive da melhor forma possível, a banda não deixa em momento algum faltar nada, a melodia criada pela banda é algo realmente surpreendente.

Apex predator chega com o pé na porta e consegue mostrar uma introdução que começa baixa e depois aparece totalmente mais quebrada o som trabalhando da melhor forma possível, o vocal aparece de forma impactante e consegue mostrar que o gutural dele está no tom perfeito, tom que consegue fazer você chegar dentro de seus sonhos mais obscuros, a forma mais impactante possível de criar seu som, uma guitarra que sabe trabalhar da melhor forma possível em um álbum muito bem trabalhado.

Atena não deixou faltar nada, e conseguiu nesse álbum deixar todos os instrumentos em perfeita sincronia, uma forma de deixar tudo ainda mais magnífico, uma guitarra que tem muito da linha progressiva, que consegue mesclar o peso absurdo do Deathcore de alguns momentos, com o lado calmo, pensativo e bonito do Progressive, uma forma de fazer tudo ser mais bem feito, a bateria consegue aparecer de forma densa e não falha em momento algum em sua velocidade, e para encerrar com chave de ouro as qualidades da banda, se você tem dificuldade em escutar a sonoridade do baixo dentro das músicas, então nessa banda você vai deixar isso de lado, pois você consegue sentir o baixo criando uma destruidora sonoridade em sua mente, uma banda que consegue aparecer no underground e fazer uma sonoridade magnífica.

Sempre é difícil apontar uma melhor faixa desse álbum, pois se trata de um álbum muito completo, um álbum que dentro da proposta aparece do começo ao fim da melhor forma possível, mas em um gosto pessoal, a música “B.N.T.B” aparece trazendo a melhor sonoridade em vários aspectos, um deles é qualidade da guitarra, e o principal, o refrão da música é melódico e cantado com voz de peito, mas a voz de peito de uma garota que consegue fazer a música ser ainda mais magnífica, ainda mais linda, ainda mais Progressive Deathcore.

Backstabber aparece trazendo mais o lado Progressive, a banda deixa claro isso logo na introdução, mas a construção gritante das guitarras fazem você notar uma evolução no som da banda, uma música melhor que a outra, em um álbum completo.

Para encerrar o álbum a banda escolhe a música “Skinndau” que é uma música pesada, densa e que encerra o álbum como se fosse um tiro dentro de sua alma, um buraco que não tem fim, uma forma de fazer você se sentir em outro mundo, a banda encerra o álbum da melhor forma possível.



Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário