segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Deconstructing Sequence: Access Code



Progressive Death Metal


Deconstructing Sequence, esse é o nome da banda que consegue trazer uma sonoridade de outro lado do mundo, um lado mais obscuro e mais interessante que poucas bandas foram procurar.

A forma mais destruidora de criar uma sonoridade, a forma mais inteligente de fazer um trabalho sério e direto com apenas duas músicas em seu Ep intitulado “Access Code” que saiu via independente.

A banda é muito bem focada, ela tem um peso absurdo e consegue trabalhar com toda a técnica possível, consegue fazer tudo acontecer da forma mais impactante e puramente brutal possível, e claro, tudo isso sem fugir do magnífico lado do Progressive Death Metal.

Antes de tudo, se você tem algum pé atrás em escutar o Progressive Death Metal por achar que será algo cansativo, algo chato ou até mesmo algo muito forçado, você está totalmente enganado e essa banda é a prova disso, uma excelente sonoridade que faz você entrar em outro mundo e conhecer como se trabalha sem deixar faltar nada.

Access Code é apenas o segundo trabalho da banda, o primeiro trabalho da banda é intitulado “Year One” que saiu via independente também.
Year One conta com uma sonoridade ótima também, ele mostra o começo de uma carreira, uma carreira que tem tudo pra ser destruidora, uma carreira que tem tudo pra deixar a música dessa banda em outro nível, uma real carga de poder.

A primeira música intitulada “A Habitable World Is Found” tem 7 minutos e antes que você imagine que será 7 minutos cansativo, a banda já começa da melhor forma possível apostando em uma sonoridade única para a bateria que é totalmente rápida e totalmente pesada com uma intensidade impecável, a guitarra aparece de forma muito nítida, nada nessa banda fica apagado, você consegue escutar cada riff, cada batida e quando a música entra tudo em conjunto fazendo uma sonoridade mais rápida você já consegue notar uma potência muito grande no baixo, uma potência que é de outro mundo, o baixo consegue de forma destruidora aparecer e quebrar tudo, você se sente como se estivesse em uma equipe dentro de uma máquina percorrendo todos os lados do universo e quando você menos espera tudo sai do controle, tudo começa a desmontar e você começa a navegar de forma  totalmente perdida, uma música que vai muito alem de apenas uma sonoridade excelente, uma música que faz você viajar e realmente entrar em outro mundo, um mundo único dessa banda impecável que com duas músicas consegue te fazer se sentir  querendo escutar mais e mais do trabalho dela.

Para as pessoas que adoram jogos, essa banda tem uma sonoridade que combina perfeitamente com o jogo Dead Space que é um dos melhores jogos, essa banda consegue entrar no mundo Dead Space e fazer você ter um cuidado e uma fúria sensacional, uma música que faz você entender tudo o que está acontecendo mesmo estando no caos do fim, uma guitarra que tem total propriedade do que está fazendo, uma sonoridade totalmente destruidora, o baixo aparece criando sempre mais peso, e a guitarra consegue mesclar o peso do riff que aparece em boa parte da música com uma sensacional onda progressiva que aparece ao fundo fazendo a música ter um brilho que só ela consegue ter, um brilho que só ela tem propriedade para ter, uma música sensacional que faz desse EP ter o melhor começo possível.

Talvez o único problema da banda seja apostar em poucas músicas no EP, pois só duas faz todos sentirem vontade de escutar mais e mais do trabalho, mas infelizmente tem poucas músicas.

Para encerrar o EP vem a música “We Have the Access Code” que começa com uma energia muito bem pensada também, uma bateria totalmente grave junto do baixo que é de outro mundo, uma música que consegue deixar o lado Death Metal com o lado do Progressive Metal juntos e os dois com uma potência excelente, uma sonoridade de bater palmas para a banda, realmente um excelente encerramento para a banda que consegue destruir com esse lançamento magnífico.




Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário