segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Cemetery Filth: Screams from the Catacombs



Death Metal


Cemetery Filth, esse é o nome da banda de Death Metal que aparece trazendo uma sonoridade totalmente carregada e muito destruidora que não deixa você fechar seus olhos com a paz quando chega à noite.

A banda tem apenas um lançamento em sua carreira, afinal, a banda foi formada em 2014, e sem perder tempo a banda começou a trabalhar em seu primeiro trabalho.

O primeiro trabalho da banda é um EP intitulado “Screams from the Catacombs” e esse trabalho é muito interessante, porque mostra logo de cara o primeiro e marcante lançamento da banda sem sair do Death Metal, um Death Metal que é rústico e que consegue puxar um pouco até do bom e velho Black Metal, mas não na parte rápida, afinal o trabalho da banda é bem carregado, ele não tem uma velocidade gigante.

A primeira música do EP é intitulada “Screams From The Catacombs” e ela deixa tudo isso vivo, deixa uma sonoridade bem carregada dês do começo, a bateria é totalmente seca e consegue ainda carregar uma sonoridade de DEMO e isso é ainda mais sensacional, a banda não se preocupou em produzir de forma pop o seu trabalho, ela focou na sonoridade e isso é importante, a guitarra consegue criar riff’s bem carregados, bem pesados sem deixar o Death Metal morrer em momento algum, a voz é um gutural um tanto diferente, o motivo é que ele não está tão fechado quanto deveria para um Death Metal, mas não está aberto o bastante para ser considerado um Harsh Vocal, por isso talvez a banda consiga um destaque ainda maior, por ter uma característica bem diferente.

Gateway Among The Graves é a segunda música e ela mostra um lado diferente da primeira música.

Gateway Among The Graves consegue trazer uma sonoridade bem carregada e ainda um pouco mais rápida puxando um pedal duplo sensacional da bateria que consegue fazer uma construção sensacional explorando tudo que tem em seu caminho, a guitarra consegue construir uma sonoridade bem pesada com riff’s rápidos e que ainda trazem um pouco do Black Metal e o vocal mesmo sendo ainda um pouco mais rasgado do que o gutural de costume, aparece trazendo uma sonoridade muito compatível com os outros instrumentos, uma forma de destruir tudo e rasgar sua mente em várias partes diferentes, a alma das pessoas ficam ainda mais abaladas ao escutarem essa faixa, uma faixa que consegue ter o poder de te puxar para o inferno pouco a pouco.

É sempre muito importante apontar o lado da Arte de Capa do trabalho, esse EP aparece da melhor forma possível trazendo uma arte totalmente em preto e branco com uns pequenos detalhes em cinza que faz a arte ser ainda mais magnífica, um desenho totalmente completo e cheio, como se estivesse representando toda a loucura que está na mente de cada um dos músicos.

O trabalho dos músicos ficou pronto e quando foi lançado o EP a banda realmente mostrou que não precisa ficar anos e anos de espera, a banda chegou e lançou o trabalho sem medo e agradou bastante por ser uma sonoridade totalmente rústica e totalmente real do que é o Death Metal antigo.

Para encerrar o álbum abanda conta com a música “Cemetery Filth” que tem um baixo totalmente carregado.

Cemetery Filth é uma música que você consegue sair da sua realidade cansativa e entrar em um mundo de total tortura e total dor, você sente sua alma caminhando lentamente em um cemitério, pessoas vestindo um manto preto começam a te seguir e isso vai cada vez te deixando mais morto, sua alma se sente fraca, ela deita, e quando abre os olhos ela sente o doce beijo da morte.

Essa é a faixa principal do EP que encerra da melhor forma possível, uma música que não deixa o trabalho que é muito bem feito ter um fim diferente, o fim é totalmente destruidor.



Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário