terça-feira, 2 de setembro de 2014

Torn the Fuck Apart: Sexually Transmitted Torture



Death Metal



Se dentro do Death Metal você está procurando algo mais diferente, uma banda que consegue trazer uma sonoridade pesada, mas ao mesmo tempo em que tenha melodia e tenha algo particular, uma atmosfera maior que faz do seu som excelente, então a dica perfeita é a Torn the Fuck Apart.

Torn the Fuck Apart é uma banda que consegue trazer um Death Metal da melhor qualidade possível e ainda conseguir mostrar veias do Groove Metal e um pouco do Technical Death Metal em principalmente sua guitarra, a banda não deixa faltar nada e em momento algum você consegue se sentir cansado escutando as músicas dessa banda tão bem feita.

Quando alguém não conhece muito bem o Death Metal ou acaba conhecendo pela banda errada, acaba achando que o gênero é ruim e que o vocal é totalmente fechado e não da para escutar as palavras, mas Torn the Fuck Apart consegue mostrar que não é assim que acontece a vida e em seu álbum “Sexually Transmitted Torture” a banda começa com uma potente sonoridade que faz com que o álbum seja talvez o melhor lançamento dessa banda excelente.

Começando próximo da metade do álbum, a música “Digested Genitalia” tem uma sonoridade impactante e diferente dês do começo.
A música começa com uma pessoa narrando um pouco os fatos e logo após isso você consegue notar uma bateria rápida e seca, mas que combina perfeitamente com o peso da música, uma bateria que lembra até o grindcore em alguns momentos, a guitarra mesmo sendo totalmente do Death Metal ela apresenta uma sonoridade um tanto mais ardida que lembra o impactante e monstruoso Technical Death Metal, uma banda que sabe trabalhar com o que tem e não deixa em momento algum morrer o impacto e a criatividade.

O gutural que a banda apresenta tem uma qualidade excelente, uma qualidade que consegue ser muito compatível com o Death Metal criado pela banda, e na música que vem logo em seguida da faixa “Digested Genitalia”, a banda consegue apresentar uma sonoridade ainda mais interessante, uma sonoridade ainda mais incrível e Death Metal.

Intitulada “55 Gallon Crypt” a banda conta com uma construção música impecável, a música alem de ser totalmente Death Metal, totalmente destruidora a banda ainda consegue colocar todos os instrumentos para trabalhar da forma mais nítida possível, o baixo aparece bem de leve ao fundo criando uma atmosfera bem leve para conseguir levar seu cérebro para o lado do peso maior que esta no vocal, um gutural excelente, um gutural que consegue transmitir muito ódio, consegue transmitir toda a qualidade do mundo, a música conta ainda com a guitarra que consegue ter como característica o lado mais ardido, um som com muita qualidade, um som com riff’s pesados de acordo com a música, mas que quando é colocada em prova com seus solos, ela consegue executar da forma mais impecável possível a sonoridade, uma sonoridade que lembra muito o Technical Death Metal e talvez isso seja a arma secreta da banda, um Death Metal que consegue captar outros gêneros, mas ainda sem deixar de ser o Death Metal de origem, sem deixar de ser o Death Metal da melhor qualidade, e não tem como não comentar a bateria nessa faixa, uma bateria que em boa parte é muito seca, uma batida rápida e seca que consegue puxar também o grindcore da melhor forma possível, mas sempre sendo Death Metal e quando aposta no pedal duplo a banda consegue criar uma atmosfera ainda mais pesada, uma atmosfera ainda mais densa, tudo que faz com que você consiga levar esse álbum para sempre em sua mente, sempre sendo algo totalmente marcante, sempre sendo algo totalmente único, um Death Metal de muito respeito que faz com que você queira escutar mais e mais da carreira da banda.

Torn the Fuck Apart é uma banda que tem uma carreira um tanto consagrada no underground, ela consegue trazer uma quantidade grande de lançamentos de álbuns.
A banda tem três álbuns, o primeiro que saiu via independente que é intitulado “Gods of Gore” que é um álbum totalmente importante na carreira da banda, logo após o lançamento do  “Gods of Gore” a banda apostou no álbum “...the Dissection of Christ” que também saiu via independente, e ambos os álbuns renderam o lançamento do último álbum intitulado “Sexually Transmitted Torture” via Ossuary Industries.

Para encerrar, mas sem ser a última faixa, a banda apostou grande na música “Sulfuric Semen Skank Dunktank” que começa com um gutural terrivelmente monstruoso e que consegue trazer ainda mais peso para a magnífica banda, ela é provavelmente a música que carrega o peso maior, uma quantidade grande de riff’s carregando a morte ao seu lado, um gutural cada vez mais fechado, uma bateria seca que consegue mesclar com o pedal duplo bem rapidamente e o vocal que consegue mesclar com um drive bem rasgado tornando quase um Harsh Vocal, uma impactante música para mostrar a qualidade inquestionável da banda.




Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário