segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Nuklear Frost: Subjugation



Black Metal


O Black Metal bem feito da banda Nuklear Frost consegue fazer qualquer pessoa lembrar os velhos tempos em que esse gênero era extremamente comentado, e essa banda consegue resgatar toda a potência e a intensidade desse obscuro gênero.

A banda tem uma quantidade pequena de lançamentos, mas dentro do Black Metal uma Demo tem um valor muito grande, a Demo mostra sempre o lado mais rústico e mais cru da banda, isso sempre consegue atrair olhares da forma mais impactante possível.

A banda não conta só com uma Demo, ela conta também com um álbum que tem por sinal uma arte de capa impecável e que consegue transmitir o terror mental que o som carregará que é o álbum “Subjugation” que saiu via independente.

A forma independente de ter saído essa obra prima do Black Metal mostrou que a banda não tem medo de fazer seu som,  e apostando fundo com todo o peso do mundo a banda conseguiu expandir seu som até os cantos do mundo.

Se você está esperando uma introdução para o álbum, algo instrumental, então você está certo em esperar, pois a faixa “Uranium Censer” é uma introdução excelente pro álbum, agora se você está esperando algo totalmente leve, uma atmosfera morta, pode deixar de lado, pois a banda vem com todo o lado macabro e traz sem nenhum medo a noite com ela e consegue fazer da sua mente, um terrível mundo pro pesadelo.

A segunda música não fica no instrumental, a segunda música é a “Theist Holocaust”  e ela já começa trazendo tudo o que você pode esperar do Black Metal, uma bateria muito rápida, uma guitarra totalmente rápida em uma freqüência alucinada, uma guitarra que consegue trazer o som cadavérico todo momento, uma bateria que conta também com um pedal duplo lembrando até o impecável e lendário Satyricon, o vocal é algo de outro mundo, uma potência dentro do Harsh Vocal que não consegue em momento algum deixar a atmosfera calma, e a proposta de trazer a morte mais viva está conseguindo tomar conta de tudo, um álbum que começa da melhor forma possível com uma música infernal e magnífica.

Na melhor veia Demonaz a banda consegue trazer a música “In the Name of Nothing” com uma levada totalmente monstruosa, uma guitarra totalmente criada no Gelo e sem deixar faltar nada a banda coloca um pedal duplo da melhor qualidade e faz um som totalmente destruidor, o Black Metal dessa banda é extremamente bem feito, não falta absolutamente nada, a potência é grande, a forma de fazer a música é tão impactante e parece ser tão fácil para esses músicos incríveis, essa banda realmente consegue fazer a atmosfera ser gigante e nessa música o gutural aparece e consegue fazer a sonoridade ficar ainda melhor, tudo combinando da melhor forma possível, poucas bandas de Black Metal hoje em dia conseguem seguir com tanta potência na sonoridade, e em momento algum a banda deixa a velocidade e o amor pelo ódio morrer.

A faixa “Vortex of Horror” não poderia ter nome melhor para um som tão atordoante e magnífico, a banda consegue trazer o Black Metal verdadeiro, com a guitarra fritando uma alma de tão rápido e sempre conseguindo trazer mais impacto, mais foco dentro do ódio e nada consegue fazer essa música ser ruim.
A potência do vocal é impressionante e consegue fazer a excelente mescla do gutural com o harsh vocal fazendo com que a música fique ainda melhor, uma música impecável que tem o esqueleto e o sentimento do Black Metal das antigas, só que um tanto mais bem feito.

Charnel Ditch é uma música que começa com uma atmosfera totalmente Black Metal, uma atmosfera que consegue te fazer imaginar pessoas usando manto preto em uma colina em que uma pessoa está amarrada em uma pedra pronta para ser cortada em várias partes enquanto o Deus da Lua está vendo tudo isso, uma música que tem um baixo impecável, um instrumento que se for bem trabalhado consegue mudar tudo, e essa banda consegue fazer isso da melhor forma possível, a velocidade da música não é tão grande, é algo mais lento, uma lentidão que coloca um sentido muito grande na música, tudo fica mais tenebroso com a lentidão da banda que consegue transmitir tudo para o mundo da forma mais única possível.

Para encerrar o álbum a banda escolheu a faixa “Become Death” que tem uma construção animal, uma guitarra totalmente magnífica que consegue fazer o pesadelo ser ainda mais real, uma forma que faz com que você tenha contato com outras vidas, outros mundos, uma música que não deixa em momento algum você ficar esperando mais do álbum, essa banda é surpreendente e uma das que conseguem trazer um dos melhores álbuns de 2014 sem deixar nenhuma dúvida que o Black Metal está vivo e está ainda mais cruel e obscuro.





Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário