domingo, 7 de setembro de 2014

Disgorgement: Chamber of Depravity


Death Metal


Mostrando que ainda existe muita força e que ainda consegue ser um dos principais países do Metal extremo a Alemanha nasce novamente com a banda Disgorgement.

Disgorgement é uma banda extremamente desconhecida para a maioria, mas se engana quem acha que o som dela é fraco.

A banda realmente não tem uma quantidade gigante de lançamentos, mas ela mostra que isso não é necessário, ela consegue com apenas uma Demo intitulada “Exercised Fantasies” que saiu em 2008 e um álbum intitulado “Chamber of Depravity” que saiu em 2009 via Rebirth the Metal Productions a banda mostrou que a sua potencia é incrível e que seu nome merece ser lembrado.

Com o Chamber of Depravity sendo o foco, ele já começa com a música “Intro” que é uma faixa bem curta que tem um violão que mostra a calma dentro do pecado, uma forma de trazer a calma antes da dor, uma música excelente que faz do instrumental algo impecável dentro do álbum.

Logo em seguida nasce o terror sem piedade da música “Artifacts Of Abomination” que tem uma bateria totalmente rápida, um pedal duplo que não perdoa em momento algum, você consegue logo de cara notar que a banda é uma máquina das mais potentes e que não deixa em momento algum a potencia de lado, uma das melhores formas de começar o álbum, a potencia que está no vocal também é muito grande e muito compatível com a bateria que consegue trazer com um gutural muito potente o medo que nasce da alma, uma música incrível e bem feita, uma música que faz o álbum ter ainda mais impacto.

Se logo de cara temos uma introdução muito bem feita que consegue trazer uma alma bem atmosférica e uma arma potente na segunda música, então o álbum não poderia perder espaço, não poderia chegar e ficar fraco, e ele não fica fraco em momento algum.

Torments Of The Deceased é o nome da outra potente música que faz esse álbum ser incrível, mas dessa vez a música aparece ainda rápida, mas um tanto mais lenta que a anterior, essa música deixa nítido o lado macabro da banda, um lado em que você consegue se colocar no cenário da morte, morte que te faz querer torturar e vender os pedaços da sua vítima em um mercado totalmente sujo, uma banda impecável que faz do fogo a sua casa, uma música que tem muita potência em seus riff’s, a guitarra realmente consegue destruir e fazer que essa faixa seja algo impecável com tanta brutalidade em seus riff’s.

Todas as músicas desse álbum conseguem trazer a força e o lado Death Metal da melhor forma possível, mas a música “Inhuman” consegue mostrar o baixo da melhor forma possível, um baixo que faz com que você sinta a fúria nascer ainda mais potente, ainda mais violenta e a música tem um ritmo totalmente Death Metal antigo, mas conta com riff’s e pedal duplo da melhor forma possível, uma música que consegue mostrar o poder da Alemanha no mundo, um país que nasceu pra ser gigante, um país que nasceu pra ser lembrado de todas as formas.

Uma das coisas mais impactantes dessa banda é conseguir mesclar o gutural impecável que vai da parte mais profunda do mundo até o lado mais ardido de um drive muito bem feito, de um drive extremamente sensacional que consegue dar ainda mais forma de peso pra faixa que não fica nunca cansativa, a banda realmente é magnífica.

A música Ornaments Of Death consegue mostrar bem o lado de ambas as técnicas, mas ainda o gutural é predominante.
Essa  faixa consegue trazer o lado mais cru da banda, um lado mais puxado pras veias antigas do Death Metal e isso combinou perfeitamente, combinou da melhor forma possível, o baixo aparece com muita força e não deixa em momento algum o som ser fraco, sempre fazendo tudo ser mais impactante.

Where Your Gods Die começa de uma forma totalmente baixa e muito técnica, conforme a música vai acontecendo o som vai ficando mais impactante e quando chega o vocal ele predomina no drive rasgado em  um impacto muito grande com o sangue sendo jogado sem medo algum no olho de todas as pessoas, essa música é impecável, essa banda é realmente um orgulho para o Death Metal e para a Alemanha, Alemanha que consegue sempre superar sua potência e técnica lançando sempre algo mais magnífico e mais criativo, realmente um país único que nasceu pra ser lembrado.


Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário