domingo, 3 de agosto de 2014

Gortal: Deamonolith



Death Metal



Gortal é uma das bandas que tem um vocal muito interessante e que cada vez ele vai ficando mais denso e mais destruidor.

Carregando à bandeira da Polônia a banda já mostra que tem tudo pra dar certo, em seu álbum intitulado “Deamonolith” que saiu em 2012 via Pagan Records a banda mostrou que foi um lançamento muito, muito bem feito e muito extremo.

O Death Metal sempre apareceu carregando excelentes bandas, mas nunca vai existir um país igual à Polônia para conseguir lançar bandas de Death Metal tão bem feitas, a potência das bandas são algo impressionante, a vontade, a violência e o sangue que escorre dessas bandas se tornaram ao decorrer dos anos a Polônia o local mais sagrado para o Death Metal.

Começando o álbum você já consegue se sentir com medo de tanta atmosfera colocada na introdução, a arte de capa combina perfeitamente com esse álbum, a arte mostra uma pedra com um símbolo pronto para fazer um ritual e tudo isso no meio do Oceano e isso faz com que você já se sinta perdido e com um pavor gigante por ser engolido pela água e nesse caso a banda conseguiu combinar tudo perfeitamente, a música D.F.C. começa com uma guitarra muito bem trabalhada e um riff muito denso que faz a música ser muito agradável e extrema ao mesmo tempo, o gutural é impecável e em determinados momentos ele se torna tão denso e potente que faz você imaginar que o próprio Diabo está cantando, uma banda sensacional que não deixa faltar nada, a bateria consegue trabalhar muito bem e apostar de forma muito técnica na utilização dos pratos e de cada pedaço da bateria, uma banda que surpreende pela qualidade.

Crimens Sollicitationis é a segunda música e se você está pensando que com a potência da primeira música e qualidade dela não poderia vir algo melhor logo em seguida então você está completamente enganado, a banda consegue mostrar em todos os momentos a sua criatividade e o seu lado destrutivo, uma forma mais que impressionante da banda executar seu trabalho.
Crimens Sollicitationis começa com toda a violência do mundo e o pedal duplo dessa música é algo assustador, uma velocidade impecável, uma máquina de peso que consegue fazer o mundo se tornar poeira em segundos, o vocal consegue mostrar o seu lado mais pesado em cada momento, em cada música a mescla de vocal vai aparecendo, nessa no caso a potência do gutural está um tanto mais fechada e o Harsh Vocal aparece de apoio e isso faz com que toda a música se torne ainda mais potente e chamativa, uma forma genial de construir uma música.

Doombringer é a faixa seguinte e começa de foram atmosférica também, com uma espécie de conversa ao fundo, mas por pouco tempo, pois depois o esmagador pedal duplo aparece e mostra como faz para separar as partes do corpo de uma pessoa, a forma mais nítida de fazer um Death Metal é apostando no de sempre, mas não é assim que funciona com essa banda, banda que consegue construir uma sonoridade muito bem feita e com muitas quebras no ritmo, uma forma de caminhar sobre a água e não afundar em momento algum, a banda realmente tem tudo pra dar certo, ou melhor, dar mais certo do que já é, o trabalho do Gortal se mostra cada vez mais sólido e esse ultimo álbum realmente é uma obra prima do Death Metal Polonês que  sempre aparece trazendo as melhores bandas, a famosa estrela de cinco pontas que é formada por Hate, Behemoth, Vader, Decapitated e Lost Soul mostra o quanto o país é bem servido, porem, os que ficam de fora dessa estrela merecem um lugar, pois a cada ano uma banda impecável nasce nesse país e cada vez que uma banda de Death Metal nasce na Polônia você pode ter certeza de que música boa está nascendo da forma mais pura possível.

Deliver Into Suffering é mais um dos retratos da pedrada na cara que essa banda joga pra todas as pessoas, uma banda excelente não pode deixar em momento algum o álbum se tornar ruim e essa música tem uma energia muito grande, o pedal duplo parece uma metralhadora que está furando tudo em sua frente da forma mais impactante possível, o vocal está ainda mais pesado e rasgado mesmo sendo um gutural, a guitarra está aguda e em uma cadência interessante e conforme ela vai aparecendo ela se torna mais aguda, a música em um determinado momento sai do gutural e você consegue escutar ao fundo gritos como se pessoas estivessem sendo torturadas e tomando chicotada e o inferno estivesse aberto esperando pela sua alma, uma música extremamente extrema, o retrato do que é a carreira dessa banda incrível e surpreendente.





Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário