sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Biophobia: O Baixo Soturno



Começando dessa vez, uma entrevista com a banda de Depressive Black Metal Biophobia, uma banda/Projeto que consegue fazer a obscuridade tomar conta e juntar com a melancolia e o lado mais rústico possível de um baixo soturno.

G.Grind:  O Depressive Black Metal (DSBM), ultimamente conseguiu ganhar mais espaço no mundo do underground, você acha que a cena nacional está indo no caminho certo para conseguir catapultar o DSBM?
Herr Doomed: A cena brasileira está sendo ‘’catapultada’’ para o mundo no geral com um imagem negativa, penso eu, pois vejo bandas de Depressive Black Metal  repetindo comportamentos infantis de meia dúzia de bandas de black metal que se auto intitulam “trues”, mas apesar disso temos algumas excelentes bandas na nossa cena como AbsentHeat e Drowing In Sorrow

G.Grind: Qual o motivo do Biophobia apostar no trabalho sem um vocal?

Herr Doomed: Penso em cada trabalho separadamente e para o Feelings for a Suicide queria algo extremamente abstrato, cru e que fizesse o ouvinte pensar no contexto de cada elemento dentro das músicas. E o vocal logo no primeiro trabalho não me pareceu muito adequado a essa proposta, exceto na última faixa, na qual há uma linha de vocal.

G.Grind: Qual foi à maior dificuldade em fazer a Demo Feeling for a Suicide?

Herr Doomed: Dificuldade de gravação foi pouca, o grande obstáculo foi a edição tanto pelo fato de eu na época ainda estar aprendendo a editar e colocar o que estava na minha mente na atmosfera das músicas, mas creio que o trabalho final tenha ficado bom, mas creio ainda que ficará ainda melhor com o passar dos lançamentos.

G.Grind: Feeling for a Suicide saiu via Light.Suffering.Domination, como funcionou a negociação para o lançamento através do selo?

Herr Doomed: A negociação foi bem tranquila e inclusive gostaria de agradecer ao selo por ter lançado o material do Biophobia, o grande problema foi no envio da minha parte das cópias que infelizmente não pôde ocorrer pelo fato de eu residir em um local muito afastado dos centros urbanos.

G.Grind: Existe alguma inspiração fora do Depressive Black Metal? Qual?
Herr Doomed:  Dentro do metal gosto bastante de doom metal clássico e o funeral. Porém fora do metal tenho inspirações que vão desde Vivaldi à Elliott Smith.

G.Grind: Em um próximo lançamento poderemos encontrar alguma faixa com vocal?
Herr Doomed: Quem sabe? Talvez.

G.Grind: Qual é o sentimento que move o Biophobia?

Herr Doomed: Não diria um sentimento, mas uma ação, que seria a observação. Você se exclui do mundo e o observa, é isso que tento transmitir.

G.Grind: Quando colocada em preto e branco a arte de capa cria um duplo sentido, as folhas fazem 

Herr Doomed: com que você imagine um espelho totalmente quebrado, essa arte foi pensada para criar esse efeito?
Isso é bem pessoal, cada um vê o que de alguma forma quer, algumas pessoas inclusive viram algo como um navio na capa, então eu realmente acho que é bem pessoal.

G.Grind: O Biophobia pensa em fazer alguma parceria?

Herr Doomed: Sim, me agradaria bastante fazer um Split ou até mesmo juntar novos membros à banda, mas é algo muito delicado para se fazer rapidamente, então realmente não tenho pressa.

G.Grind: O espaço é todo seu, muito obrigado pela entrevista.
Herr Doomed: Queria agradecer ao blog pela oportunidade e é isso, boa noite.




Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário