sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Aborted: Slaughter & Apparatus: A Methodical Overture



Death Metal


A consagrada banda Aborted aparece aqui com um álbum mais que consagrado, a obra prima da dor e do caos “Slaughter & Apparatus: A Methodical Overture” não poderia deixar de ser comentado em um site de Metal.

A potência dessa banda é sempre algo interessante, o motivo é que a banda consegue mostrar que o Death Metal não precisa sempre ser a mesma coisa, não precisa ser sempre a mesma velocidade, a mesma bateria, o mesmo baixo que em algumas bandas fica escondido, nessa banda tudo é vivo, tudo mata, tudo é esmagador, e o vocal que lidera tudo isso mostra que o caos só vai terminar quando só existir limite no inferno.

Slaughter & Apparatus: A Methodical Overture saiu em 2007 via Century Media e essa banda foi muito bem acolhida por todos os fãs.
A potência nas músicas se torna cada vez mais interessante e o álbum é uma obra prima dês da arte de capa que estampa uma cor azulada e uma pessoa meio deformada, tudo muito bem feito igual às músicas do álbum.

O álbum começa com a faixa “The Chondrin Enigma” e logo nessa música você já começa a aplaudir de pé, porque a música começa de uma forma meio atmosférica como se uma rádio estivesse dando uma notícia que o mundo entrou em uma guerra e assim que começa a música você já começa a perceber a potência da banda pelo vocal que é impecável, um gutural que explode tudo que está em seu caminho, à guitarra tem uma potencia muito boa, a quantidade de riff’s é sempre bem trabalhada, o baixo aparece sempre dando um tom que faz você querer sair na rua e sequestrar alguém e arrastar a pessoa até sua casa e torturar ela da forma mais criativa e dolorosa possível, uma música impecável.

A Methodical Overture começa no grito e um grito como se estivesse mostrando a dor de uma pessoa que está amarrada em uma cadeira e logo em seguida entra o gutural como se fosse uma máquina que estivesse prestes a devorar a alma da vítima, ao escutar essas músicas você consegue desenvolver em sua mente uma seqüência sem fim de cenários destruidores, a banda é realmente muito bem feita, as músicas conseguem ser uma melhor que a outra e tudo é sempre muito criativo, o vocal é sempre muito bem executado e a bateria vai se tornando seca as vezes que é o que traz o lado mais Death Metal das extremas antigas.

O Death Metal do Aborted é muito interessante porque ele mostra um lado diferente da música, ele não deixa em momento algum de ser Death Metal, mas ele tem um vocal e um peso muito grande e que lembra muito o Brutal Death Metal em um lado mais completo, uma forma muito incrível das músicas, o vocal gutural entra em mescla com um vocal que puxa um lado mais do Drive e isso faz com que a música fique cada vez melhor e cada vez menos enjoativa, lembrando que essa banda não tem absolutamente nada de repetitivo.

Continuando com as músicas, a seguinte vem a “Avenious” que é uma sonoridade que deixa o vocal ainda mais interessante, porque ele aparece na voz de peito, porem de uma forma muito grave, e o drive/gutural mais leve aparece e toma conta logo no começo, o vocal nessa música não é tão denso no começo, mas o peso volta ao decorrer da música, o andamento da música muda muitas vezes e isso faz da musica cada vez mais interessante, cada vez mais impactante, o pedal duplo da banda é uma metralhadora da melhor qualidade e a guitarra cria um lado mais progressivo ao fundo que faz com que você comece a viajar de forma única, uma potência, uma criatividade muito interessante.

A máquina não para nunca e logo na música “And Carnage Basked in Its Ebullience” a guitarra parece ganhando um espaço muito interessante criando uma introdução junto da guitarra muito bem feita, introdução que faz a música ser ainda mais brutal, um Death Metal de muito respeito, a banda realmente sabe fazer musica e a mescla vocal faz com que a música vai ficando cada vez mais pesada, a bateria trabalhando junto do baixo é algo imperdível, uma potência absurda, um caos muito grande e fica tudo muito completo conforme a música vai avançando.

Esse álbum é uma obra prima do mundo extremo do Metal, poucas vezes você vai encontrar algo tão bem feito, tão bem construído e destruidor ao mesmo tempo sem deixar de ser Death Metal, Aborted consegue mostrar em todos os seus lançamentos o motivo pelo qual ela é uma banda que faz a diferença, uma banda que consegue sempre escrever seu nome no mundo do Metal extremo da forma mais consagrada possível, uma banda sem frescura que sempre vai trazer um excelente resultado no fim dos seus álbuns.

Para encerrar o álbum a banda escolheu a música “Underneath Rorulent Soil” que tem uma introdução perturbadora e totalmente atmosférica com e logo ao fundo a guitarra faz parecer que tem uma serra elétrica sendo ligada pronta para arrancar partes de alguém, porem, quando junta todos os instrumentos o som se torna impecável e encerra o álbum da melhor forma possível, encerra o álbum da forma mais Aborted possível, uma forma genial.


Nenhum comentário:

Postar um comentário