quinta-feira, 17 de julho de 2014

The Body Farm: Thanatoscope



Technical Brutal Death Metal

Do lado mais esquecido da Inglaterra nasce à banda The Body Farm a potente banda que construiu em poucos lançamentos uma excelente sonoridade misturando dois dos maiores subgêneros do Death Metal que são Technical Death Metal e Brutal Death Metal.

O Technical Death Metal permite que a banda mostre toda a sua capacidade, todo o seu nível de velocidade e criatividade e obviamente mostrar sua técnica, e o Brutal Death Metal vem trazendo o lado pesado vem trazendo o martelo que esmaga a cabeça das pessoas com uma pancada só é uma junção muito bem feita e que realmente deu muito certo.

A banda tem uma carreira com apenas dois lançamentos, ambos são EP e ambos têm uma excelente qualidade, mas o espaço está destinado para o primeiro lançamento intitulado “Thanatoscope” que foi lançado em 2010.

Começando o EP com a música “Intro Entering The Mansion” e como de costume essa faixa é uma introdução que carrega o instrumental, mas um instrumental bem interessante com um som bem tenebroso e atraente de um sino de igreja batendo como se estivesse chamando as almas perdidas para dentro do núcleo mais aterrorizante do mundo.

A segunda música intitulada “Dark Water Amuck” vem com uma potência diferente do que estamos acostumados a ver dentro do Technical Brutal Death Metal, a música tem uma potência gigantesca, você consegue sentir seu ouvido molhado com o sangue que jorra da garganta do urro mais denso do vocal que é excelente, o vocal faz uma mescla entre o gutural impecável e intenso e joga pro lado passando pro drive em gritos excelentes que fazem o mundo tremer.
A música é bem rápida, ela tem apenas três minutos, mas isso não tira a qualidade dela que é impecável, a banda consegue construir um mundo totalmente diferente, você é jogado em um salão de torturas, quando o ultimo sol aparecer você será iluminado apenas pela alma das pessoas que matou no cenário construído pela banda, uma música excelente que surpreende e mostra que a banda é totalmente impecável e isso tudo logo no começo do EP.

Uma potência tão grande, uma qualidade tão diferente, uma criatividade tão única não poderia ser colocada em todas as músicas, mas isso é apenas um erro das pessoas, todas as músicas desse EP magnífico são sensacionais, uma forma de poder fora do limite, uma sensação de euforia pós guerra, você consegue tocar a sua alma sem que ela morra, a música criada nesse EP mostra que a junção do Techincal Death Metal com o Brutal Death Metal é excelente e quando bem executada a música não falha e os músicos excelentes ao máximo então tudo está no caminho certo, a Inglaterra nunca foi tão bem representada dentro desse gênero quanto com essa magnífica banda.

Walls of Grotesque é o nome da terceira faixa que apresenta um começo já mais brutal que a anterior, a bateria é bem mais rápida e voltada para o lado do Brutal Death Metal bem mais nítido, a velocidade dela vai ficando cada vez maior, é um impacto incrível criado pelos músicos, uma nova vida nasce do fogo quando esse EP é colocado para tocar.
O vocal está cada vez mais pesado, cada vez mais fechado, um gutural que é simplesmente excelente, uma qualidade que faz você ver o quanto vale a pena focar no underground, afinal, o underground tem as melhores bandas e isso nunca foi segredo. 

The Arcane Roof-Garden é a faixa que começa com a velocidade de uma metralhadora, uma técnica excelente utilizando o pedal duplo que faz o oceano abrir, a guitarra tem uma construção em suas notas excelente que faz sua mente se tornar cada vez mais negra, cada vez mais ocupada pelas negras nuvens do ódio que estão tão vivas dentro do trabalho dessa excelente banda.

É totalmente difícil falar qual é o ponto principal da banda, a banda tem tudo de excelente e é muito diferente, ela segue um padrão próprio, ela consegue fazer um gutural muito forte, um drive muito bem feito e o gutural que quando você pensa que não pode mais ficar pesado ele consegue se tornar ainda mais focado e fechado, a potência da guitarra é excelente, uma energia que não tem fim em momento algum, e o baixo anda de mãos dadas com a bateria e ambos conseguem fazer a música se tornar cada vez melhor e tudo isso criado por apenas um membro, a banda é constituída apenas do brilhante músico Ross "Thebodyfarm" Piazza.





Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário