domingo, 18 de maio de 2014

Urgehal: Through Thick Fog Till Death



A Noruega sempre teve muita visualização no Black Metal, e não é pra menos, afinal, foi esse magnífico país que catapultou o Black Metal.

Se para muitos o Black Metal tem outros focos, a Noruega mostra que lá existem ainda bandas excelentes e que fazem do underground um lugar mais interessante e muito mais completo do que o mainstream.

Um excelente exemplo de banda que é impecável por completo é a banda completa “Urgehal”.

Urgehal tem uma competência gigantesca, álbuns excelentes e uma carreira com muitos lançamentos, contando eles com 6 álbuns e um melhor que o outro, no caso dessa vez será o
“Through Thick Fog Till Death”, o motivo de ser o Through Thick Fog Till Death é que esse álbum dês da capa já mostra a intensidade e insanidade mental da banda que faz o mundo um lugar mais escuro e underground.

A primeira faixa intitulada “666” é um instrumental bem breve,  esse instrumental não mostra muito o que está por vir, porem, ele já é um tanto tenebroso, com uma sonoridade de tortura pura.
Muito diferente da primeira faixa vem a “Possessed (Raped by Evil)” que tem uma excelente sonoridade com o Black Metal mais puro possível, com uma guitarra muito frenética criando um caos junto com a bateria e a atmosfera criada pelo baixo torna a música algo completo, o vocal é tão excelente quanto poderia ser, ele traz todo o Harsh Vocal agudo tão frequentado do Black Metal tradicional.

Se a segunda música não foi o bastante para te convencer que essa banda tem tudo para ser uma das maiores do Black Metal, vem a terceira faixa que é excelente.
Intitulada “Raise the Symbols of Satan” ela com a sua sonoridade rápida te coloca em um cenário como se você estivesse sendo amarrado e torturado, como se você estivesse sendo a oferenda da noite para os demônios que estão nascendo, essa banda tem uma bateria muito caótica que demonstra totalmente o quanto é incansável esse músico.

Não é pra qualquer banda apostar em um gênero onde o foco é a intensidade e conseguir ser versátil, mas isso parece não ser problema para essa banda que consegue trazer uma excelente linha de instrumental nessa música de número 4.
E intitulada “Invasion” essa é a música que te coloca diretamente na mente de uma pessoa que está prestes a cometer um genocídio.
Essa música mostra o lado mais pesado da banda com o pedal duplo dando uma qualidade excelente para essa música que é de tirar o fôlego.

A outra música que vem a seguir, tem uma qualidade muito Black Metal Old School, a bateria marcada em um ritmo de Blast Beat muito tradicional, e o vocal em um tom excelente que não cansa de ouvir, essa música te faz lembrar a época antiga do Black Metal, revivendo o manto negro.
Essa música não mostra só o lado cru, ela também demonstra uma excelente qualidade nos riff’s melódicos que nascem ao fundo, e esses riff’s fazem com que você fique viciado na música.

Se o Black Metal é a parte intensa do Metal, então essa banda consegue seguir essa lei, e na música “Mirror Satan”, ela já começa totalmente elétrica, e se você esta se perguntando se isso não fica repetitivo eu logo digo que não, pois a banda consegue criar uma linha de baixo e guitarra muito diferente de música pra música.
Mirror Satan conta também com uma quebra de ritmo excelente que faz tudo ficar mais pesado, mais tenebroso.

A triste introdução da música “Dead Cold December” ficou perfeita para essa música, ela dita um ritmo muito único e consegue te fazer se sentir uma vítima de uma tortura, essa banda consegue te deixar atordoado com um som extremamente extremo, e muito interessante, com esse álbum você aprende a pensar igual um assassino, essa música é intensa do começo ao fim.

Uma das faixas principais do álbum é a incrível “Død, Død Og Atter Død”, essa música é sensacional, ela tem uma guitarra muito eufórica, muito impactante e completa que da um sentimento de dor na alma, o baixo dessa música é algo muito impressionante ele traz a noite para a música e deixa tudo mais interessante.

Essa banda é completa em seu trabalho, a temática dês da aparência até o fim da última música dos álbuns ela consegue se empenhar muito e não decepcionar em nenhum momento, uma banda pra poucos.



Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário