sexta-feira, 2 de maio de 2014

Ulver: Nattens madrigal - aatte hymne til ulven i manden



Seria impossível eu propor falar de Black Metal e não falar da banda que menos fez Black Metal, porem, que conseguiu fazer o álbum mais Black Metal existente até hoje.

O Ulver foi essa banda que trouxe um álbum impecável, extremamente extremo, um álbum que tem um Black Metal tão abrangente do que é realmente o gênero que o álbum virou uma lenda, um espelho do que é esse gênero intenso.

Antes de falar das músicas do álbum, é muito importante falar que esse álbum “Nattens madrigal - aatte hymne til ulven i manden” teve uma grande lenda ao seu redor, e essa lenda diz que os membros do Ulver ganharam muito dinheiro da gravadora para eles fazerem um álbum com uma excelente estrutura, uma excelente base, e os membros da banda gastaram praticamente todo o dinheiro comprando carros, roupa de marca, óculos e outras coisas e foram pro meio do mato gravar com o que sobrou do dinheiro.
Essa lenda foi sustentada por muito tempo, por muitas pessoas, e eu até às vezes prefiro acreditar que é verdade por ser tão incrível, mas essa lenda foi desmentida pelo próprio Garm se não me engano, que era o vocalista nessa época.

A verdade é que esse álbum tão impecável é uma distorção mental e um turbilhão de sentimentos que todo o Black Metal sintetiza em sua alma, e esse “Nattens madrigal - aatte hymne til ulven i manden” se tornou algo tão único com sua sonoridade que até hoje nada foi feito igual.

A primeira faixa do álbum é tão cadavérica quanto poderia ser, e é incrível a qualidade da banda para fazer um som tão retaliado, tão único e real do que é o Black Metal, com o começo do álbum com a música “Hymn I - Wolf and Fear”, você consegue atingir o lado obscuro da sua mente com um gigantesco impacto criado pelas guitarras totalmente distorcidas, o nível de distorção é tão grande que ela consegue ficar excelente mesmo parecendo algo fora de ritmo pelo destaque que ganha, a bateria é totalmente rápida em uma metralhadora, e o vocal é o Harsh Vocal tradicional que rasga a alma em todo momento, e o Ulver apresenta algo que você quase não vê em nenhuma banda de Black Metal, ele usou passagens acústicas no álbum, então na mesma música que você tem uma grande distorção, uma grande explosão, você também vai ter um violão dedilhado fazendo um som totalmente lindo e calmo, trazendo uma poesia tão mágica pra música quanto ela poderia ter.

A segunda música vem no mesmo impacto que a primeira, uma sonoridade totalmente obscura, rasgada e torturante e com uma saturação absurda.
Essa música já apresenta uma sonoridade um tanto mais tenebrosa que a primeira que é mais o lado intenso, a guitarra dessa música está mais aguda e diferente da outra, o vocal nessa é mais atmosférico e consegue trazer todo um cenário de pessoas usando um manto preto caminhando por uma floresta escura da Noruega enquanto uma igreja ao fim do horizonte se derrete no fogo, “Hymn II - Wolf and the Devil”, diferente da música anterior não tem uma passagem acústica.

Chegando na terceira faixa do álbum você consegue se deparar com mais um capítulo desse grande livro de obscuridade e com muita potência e muita intensidade.

Intitulada “Hymn III - Wolf and Hatred”, a terceira música consegue deixar evidente o baixo, e isso cria uma atmosfera ainda mais pesada e completa para a música, música que é incansável, intensa do começo ao fim, e uma bateria totalmente rápida e a guitarra clássica da banda se apresenta mais uma vez, trazendo o que é o som distorcido e cadavérico guardado na alma desse gênero.

A música de número quatro é sensacional, uma grande e marcante faixa do álbum, ela tem uma introdução muito incrível, com uma sonoridade obscura e com um solo de guitarra que vai ficando cada vez mais audível até chegar no tom das música anteriores e o som ficar totalmente rápido e impactante, essa música apresenta uma bateria muito clássica e que é usada em escala gigantesca atualmente, essa música traz uma angústia em seu vocal que é algo de outro mundo, uma música realmente que não deixa faltar nada e logo em seguida vem a música “Hymn V - Wolf and the Moon”, uma música que é tremendamente impecável, uma música que deixa no ar um tom de melancolia com poesia e faz com que o álbum fique ainda mais rico em conteúdo, e a banda consegue fazer isso de uma forma tão fácil sem deixar o real Black Metal de lado que é pra poucos.

Esse álbum que é uma lenda viva do Black Metal nunca vai morrer, mas ele tem um fim, e foi com a música intitulada “Of Wolf and the Night” que esse álbum acabou, e não poderia ser outra música, afinal, um excelente trabalho, precisa te um término com uma excelente música, e essa música é totalmente obscura e impactante, uma pancada atordoante que é intensa e saturada, uma verdadeira trilha sonora de tortura em uma noite Norueguesa, e assim chega ao fim o álbum “Nattens madrigal - aatte hymne til ulven i manden”, uma lenda desse gênero incrível.





Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário