quarta-feira, 14 de maio de 2014

Thunderbolt: Black Clouds over Dark Majesty



O vasto império do Black Metal traz sempre bandas excelentes, e quando eu criei o G.Grind eu tinha uma proposta, falar apenas das bandas underground, o motivo é simples, as melhores bandas, as que têm o som mais real, estão no underground, é nesse outro mundo que está escondida as melhores e mais surpreendentes bandas.

E procurando sempre trazer nomes obscuros do Black Metal, eu escolho falar agora da banda “Thunderbolt”, se você conhece sabe da qualidade dessa banda incrível, e claro, não poderia ser deixado para trás, afinal, a sonoridade dessa banda é absurdamente Black Metal antigo.

Falando no antigo, eu escolho falar não dos álbuns dessa banda, afinal, a banda tem 4 excelentes álbuns, porem, eu escolho falar do EP intitulado “Black Clouds over Dark Majesty”.

Não é mistério para ninguém que eu começo a observar a banda dês da arte de capa, e como não ficar interessado em ouvir um trabalho que tem os membros da banda de corpse paint na neve em uma floresta?
Isso é Black Metal, isso é muito real, e tão boa quanto à arte de capa que traz todo o lado antigo desse gênero intenso, tem também o seu impecável trabalho nas músicas e começando diretamente na segunda música, pulando as introduções que não são tão impactantes, porem são excelentes, mas como as outras músicas estão mostrando mais o lado obscuro da banda seria melhor começar falando direto por elas.

E falando da segunda música diretamente desse EP incrível vem à intitulada “Sadows of the Deepest Night”.
Essa música tem uma guitarra totalmente distorcida, uma sonoridade clássica do gênero, e como não deixar de falar do manto negro em volta dela, a sonoridade da gravação é excelente, você consegue ouvir claramente todos os instrumentos, o baixo que muitos têm dificuldade de ouvir em muitas músicas, nessa faixa o baixo está muito nítido e cria um trovão ao fundo com muita potência em uma atmosfera muito carregada e turbulenta, a verdadeira e impecável mágica dessa música esta no trabalho do conjunto.
E se para muitos algumas bandas tem um Harsh Vocal muito enjoativo, não é o caso dessa banda, que conta com uma sensacional linha de vocal, um timbre excelente que tem como impacto um tom mais grave e muito rasgado, mas que também consegue transmitir muito sentimento, no caso, muito ódio.

A terceira música do EP vem com muito impacto, intitulada “My Dark Imagination” ela começa de uma forma muito única, e quando digo única não quero dizer que ela tem uma guitarra mais pesada, ou uma bateria mais violenta, e sim que ela tem uma introdução muito impecável e que consegue te levar para um mundo totalmente diferente.
Essa introdução impecável feita com o violão dedilhado é algo de outro planeta e mostra um lado muito poético da banda, um lado muito clássico, é como se você estivesse indo para o caminho da glória eterna com a introdução, mas não se engane se acha que a música vai ser calma e muito melancólica, a música traz o lado Black Metal brutal e obscuro de sempre, com uma retalhada forma de demonstrar todo o sentimento guardado nas almas amarguradas durante tanto tempo.
My Dark Imagination tem apenas 3 minutos de faixa e consegue sintetizar uma passagem genial dentro do EP, essa provavelmente pode ser considerada a melhor faixa desse EP.

Não pensem que vai mudar o ritmo e o caminho do EP, ele não vai ter uma quebra pela introdução genial da faixa anterior, e você consegue ver a linha destruidora da banda logo na próxima faixa intitulada “Wilderness of the Eternal Darkness”. 
Essa faixa incrível começa totalmente saturada, com uma guitarra muito distorcida e com um vocal totalmente rasgado, como se você estivesse dentro de um castelo e um demônio estivesse fazendo um ritual para nascerem às outras criaturas.

E para encerrar esse EP fenomenal vem à música “Moonglare”, uma música que é tão saturada quanto a anterior, porem, essa música tem algo diferente das anteriores, ela conta com uma cadência maior, uma cadência bem melancólica, e sem falar do vocal que passa nessa música do Harsh Vocal clássico do vocalista para o gutural totalmente fechado, como se o próprio Diabo estivesse falando do trono do inferno, um EP magnífico que não deixou faltar nada, um trabalho de ouro que só tem que ser aplaudido.





Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário