segunda-feira, 5 de maio de 2014

Svartfell: Beyond the Realms of Death



A sonoridade rústica do Black Metal é algo sempre memorável, e com ela sempre teve também a obscuridade, e diferente dos outros gêneros, o Black Metal consegue fazer de suas Demos, algo muito interessante e com uma sonoridade que atrai muito o público.

E não é segredo isso, todo mundo sabe que a França se não for o melhor país em questão de Black Metal, ele é um dos melhores, e mais um representante vindo desse país.
Dessa vez eu escolho falar da banda, magnífica banda Svartfell.

Essa banda tem uma carreira com uma quantidade interessante de lançamentos, e todos eles muito bem feitos, mas como sempre, eu escolho o mais underground e com a capa mais interessante ou aquele que tem uma atmosfera que me agrade mais, e eu escolho falar não de um álbum, e sim de uma Demo, sim, a primeira Demo da banda, com o trabalho mais rústico e mais sentimental da banda.

Intitulada “Beyond the Realms of Death”, a Demo tem uma sonoridade muito única e clássica do Black Metal, você imagina que essa Demo foi grava no fundo de uma fábrica onde não tem nem ar para respirar direito, de tão atmosférico e pela sonoridade de tão Demo.

A primeira faixa intitulada “Chaos War”, começa em um verdadeiro caos, uma sonoridade muito rápida com uma guitarra que já estava rápida, mas que ganha o lado do Death Metal com o pedal duplo, mas não se engane, o fato de ter pedal duplo não torna a música Black Death Metal, mas voltando a falar do termo técnico da banda, a música tem uma guitarra que dita um riff muito caótico e que fica oscilando em questão de velocidade, mas sempre trazendo um tom melódico só que puxando ao invés de um sentimento de tristeza, trazendo um sentimento mais obscuro, e o vocal é sensacional, ele é um vocal baixo, um vocal que traz o esquecimento e cria uma perfeita atmosfera com esse instrumental.

Esse trabalho, a Demo intitulada “Beyond the Realms of Death”, é clássico dês de seu início, pois ela tem uma capa, onde o membro da banda está de corpse paint, e está em contraste as cores, lembrando as capas antigas, e isso é sensacional.

A segunda música é uma verdadeira poesia da dor e da agonia.
Intitulada “Necrodemon”, a música tem um ritmo um pouco mais cadenciado que a anterior, mas isso não é por toda a música, essa faixa também conta com pedal duplo, mas não é tão explorado quanto na música anterior, mas isso não tira toda a qualidade da música, pelo contrário, ela deixa o espaço para o Black Metal maior ainda, e como não amar esse tipo de música, ela traz um vocal totalmente torturante, parecendo que o vocal vai vomitar a qualquer momento de tanto desespero colocado por ele na música e já perto do fim da faixa, a música se torna ainda mais rápida, com o riff totalmente eletrizante.

A provavelmente faixa mais carregada e melhor do álbum é a faixa de número, que é intitulada “Mountains of Doom”, uma música que tem uma atmosfera muito grande colocando para fora todos os seus demônios em um som totalmente perturbador, como se a letra dessa música tenha sido encontrada dentro de uma garrafa e a banda antes do último suspiro de morte e assim que a morte se aproxima a música vai ficando mais intensa e mais incrível, e cada vez com uma sonoridade mais de Demo.
Essa Demo foi tão bem feita que ela do começo ao fim tem a cara do Black Metal mais verdadeiro possível, com muita potência e muita intensidade.

Se você estava esperando a música mais eletrizante do trabalho, você se depara com ela nesse exato momento, intitulada “Satan's Realm” essa música é uma verdadeira metralhadora que não cansa um momento.
São poucos os momentos em que você consegue parar para respirar, ou seja, respire antes de começar a música, e respire no fim dela.
A bateria dessa música é sensacional, cada vez mais rápida, cada vez mais implacável, e a guitarra cada vez mais intensa e completando essa atmosfera junto com esse vocal totalmente rasgado em um Harsh vocal da melhor qualidade.

A França surpreende toda vez, e é incrível como ela não decepciona, sem dúvidas, esse país é o melhor no gênero e está muito bem representado.



Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário