quinta-feira, 15 de maio de 2014

Sewer Trench: Sewer Trench



Muitas vezes eu me deparo com músicas excelentes, bandas excelentes, porem que não tem um impacto marcante.
Bandas que infelizmente ficam paradas em um espaço onde sua música não evolui, fica a mesma sonoridade sempre, e quando você escuta a primeira música do álbum, você percebe que todas as outras são iguais, mas, felizmente, essa regra não se aplica para todas as bandas, e um excelente exemplo disso é a banda Sewer Trench.

O motivo de a banda Sewer Trench ser um excelente exemplo de banda que não é repetitiva é o magnífico EP intitulado “Sewer Trench” que carrega o nome da banda.
Esse trabalho é muito potente, muito incrível e muito grudento em sua composição, e tudo isso dentro do mais puro Death Metal/Grindcore.

A sonoridade rústica e ao mesmo tempo muito carregada dessa banda é excelente.
A banda consegue trazer toda a sua atmosfera do Death Metal para as músicas e consegue fazer isso se juntar com o Grindcore que até estão bem próximos um do outro, mas que na junção ambos conseguem se tornar uma potência de outro mundo.

A primeira música intitulada “Alphabet Soup”, vem com uma potência absurda e abre esse EP da melhor forma possível.
Se você está esperando nessa música um gutural Pig Squeal que você não consegue entender absolutamente nada que o vocalista está falando, você está profundamente enganado, pois essa música tem um vocal muito interessante apostando nos berros, e berros excelentes que em determinados momentos muda para o gutural com a mudança de ritmo.

A banda conseguiu demonstrar uma qualidade muito interessante no momento de compor o instrumental.
Ela conseguiu dar um destaque muito formidável para todos os instrumentos, e você consegue ouvir cada instrumento criando um mundo diferente

A segunda música intitulada “Prisoners Of Religion” vem com uma sonoridade mais Grindcore impossível, e lembra também o Black Metal cru por incrível que pareça.
Um dos pontos mais interessantes dessa música é o espaço que a banda deu para o baixo se expandir. O baixo conseguiu construir uma atmosfera de tortura muito incrível que vai rompendo todas as barreiras, e isso é muito incrível.
O vocal dessa música mostra todo o sentimento de dor que vem de dentro da alma com a mais pura e impactante certeza de que a vida é uma dúvida, mas que a morte vai chegar para todos.

A terceira faixa sempre é aquela faixa que ganha muito destaque e é sempre muito diferente de todas as outras, e isso pode ser considerado verdade nesse EP.
Por mais que seja muito difícil falar qual música é a melhor, afinal esse EP é completo, não deixa faltar nada que existe no Grindcore e no Death Metal, no caso muito mais do Grindcore, mas essa terceira faixa é incrível, e quando digo incrível não é porque ela tem uma pequena parte melhor, ou um vocal mais calmo ou mais bruto, até porque a banda segue a mesma linha de vocal.
A bateria dessa música entrou em sintonia com a guitarra e com o baixo que criou outro nível para essa banda que já estava surpreendendo e que agora confirma mais que nunca o seu valor incrível e intitulada “War For Oil” ela começa com um som meio místico e assim começa a sonoridade absurdamente obscura e profunda do baixo que cria como se fosse o caminhar de um demônio na terra, seria impossível falar dessa música sem falar do pedal duplo que a bateria apresenta e que da uma qualidade ainda maior para a música que se torna cada vez mais sofrida e perturbadora.

O Grindcore sempre teve como característica músicas rápidas, rápidas não só na velocidade, mas também como no tempo de duração, e algumas vezes as bandas não conseguem desenvolver tudo aquilo que tem como proposta, porem, a Sewer Trench vem provando que não precisa de 5 minutos de música para fazer o caos ser criado, com ela tudo acontece da forma mais cruel possível, e com muita qualidade.

Encerrando esse EP incrível vem a faixa intitulada “Winter Of 41”, essa música ela começa  bem mais cadenciada que todas as outras, e lembra muito o Black Metal em sua construção, uma Bateria meio lenta, e o vocal totalmente rasgado transmitindo muita dor, e assim que vai avançando, a música vai ficando mais rápida, mais pesada, mais incrível e encerra esse EP da melhor forma possível, honrando o nome do Grindcore com um excelente trabalho.




Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário