sábado, 10 de maio de 2014

Infernum: ...Taur-Nu-Fuin...




Fazia tempo que eu não falava de um dos meus países favoritos no mundo do Metal.

Não é segredo para ninguém que eu tenho uma admiração incrível pela Polônia, afinal, ela apresenta as melhores bandas do cenário do Metal principalmente extremo.

E falando de cenário extremo eu escolho falar hoje de uma banda muito incrível, muito underground, realmente ela é pouco falada em todos os lugares, mas quem conhece sabe da qualidade inquestionável dessa banda magnífica.

Infernum é uma banda com apenas dois membros, sendo eles Rob Darken que é o tecladista e o Capricornus que fica encarregado do vocal, do baixo e da bateria, e esses dois membros conseguem criar uma atmosfera genial nesse álbum.

Começando o “...Taur-Nu-Fuin...”, você já pode notar uma sonoridade muito rústica e clássica desse gênero extremo que tanto agrada a alma de quem escuta, e com muita potência o álbum começa com a faixa “In The Black Clouds of War”, uma música muito boa, ela tem uma linha de instrumental muito interessante e consegue demonstrar bem o sentimento da banda.
Com o teclado a banda consegue fazer uma atmosfera muito completa que te coloca em um cenário de um lugar totalmente isolado do mundo, onde você só consegue ter contato com apenas a solidão em sua mente.

Só para deixar claro que a primeira faixa realmente é a faixa intitulada “Intro” que tem apenas 56 segundos e é muito atmosférica, mas pelo fato de ela não ter tanto impacto eu acabei considerando a “In The Black Clouds of War” como primeira até pelo fato de ela demonstrar melhor o que está por vir no álbum.

E continuando na ordem real das músicas, agora vem a terceira faixa, a incrível terceira faixa intitulada “The Ancient Order”.
É impossível dizer que um álbum bom só existe se tiver um som difícil de ouvir, pois cada um prefere uma coisa, mas essa banda consegue atingir o lado retalhado e consegue atingir também o lado técnico e muito criativo.
nessa terceira música ela começa bem mais Black Metal que a anterior, mas ela conta com um incrível destaque no teclado ao fundo que da um ambiente tão magnífico que você até imagina que tem um coral e isso sobe de nível essa música que vai ficando cada vez mais rápida, e cada vez o vocal vai ficando mais agonizante.
Essa linda faixa conta também com muitas quebras em seu ritmo, dando ainda mais vontade de ouvir repetidas vezes.

Cada música consegue focar em um instrumento em questão, deixando com que ele tenha mais visibilidade, porem, sem ofuscar os outros instrumentos, embora nessa quarta faixa intitulada “Gammadion” você consiga ouvir todos os instrumentos bem nitidamente, ela deixa um espaço maior para os riff’s da guitarra que traz um tom muito interessante e muito bom de ouvir, e o vocal é sensacional, um Harsh Vocal da melhor qualidade, totalmente retalhado, totalmente rasgado.
Gammadion é a maior faixa do álbum com 7 minutos de duração.

O lado poético dessa banda é tão incrível quanto poderia ser, e ela prova isso na música “Weltmacht Oder Niedergang”, essa música começa com um tom muito Atmospheric Black Metal, e ficou perfeito, tudo está em perfeita sintonia e em um ritmo não muito intenso, em um ritmo muito único.

A penúltima faixa é a mais Black Metal do álbum, ela começa com a guitarra ficando com um volume maior e com isso ela começa a metralhadora na bateria e o som de fundo de quarto na gravação, tudo perfeitamente Black Metal clássico, álbum lindo, com músicas únicas e que marca a vida da banda, e essa faixa “Cathari Sects” demonstra toda a potência do vocalista que consegue atingir urros de dor e muito rasgado.
E sem perder a potência, vem a última faixa do álbum, a magnífica faixa intitulada “Outro”, que já estamos acostumados a ver uma faixa ser a ultima e ser intitulada “Outro”, essa música não tem vocal, ela é um instrumental, mas não é aquele instrumental cansativo e chato que fica a mesma coisa sempre, essa música tem uma atmosfera muito boa, e o som criado pelo teclado forma um verdadeiro encerramento digno de filme que só deixa o álbum melhor, e crava na pedra da eternidade o nome dessa banda.



Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário