domingo, 11 de maio de 2014

Forest Moon: Torment Depressiven Of The Wald Irresein



A Colômbia vem trazendo grandes nomes no cenário do Black Metal, e com a proposta de sempre falar do underground eu não poderia deixar de falar da banda Forest Moon.

Se você está procurando uma banda que tem uma sonoridade totalmente antiga, como se fosse gravada em um celular e com um som muito místico, você tem que ouvir a banda Forest Moon que apresenta essa junção que cria uma atmosfera muito fosca e única.

O trabalho que escolho falar nesse momento é o álbum intitulado “Torment Depressiven Of The Wald Irresein” que saiu em 2005, e esse álbum tem uma coisa muito interessante, ele tem músicas com uma longa duração, e todas elas com uma sonoridade muito rústica.

Começando já falando da primeira faixa, a música intitulada “Demencial Agony”, essa faixa é totalmente fúnebre e tem uma guitarra muito atordoante, e a sonoridade dessa música pode parecer um pouco cansativa no começo pelo fato de ser uma música muito longa, porem, ela atinge o lado obscuro e atordoante ao extremo quando entra o vocal, um Harsh Vocal de pura agonia que não deixa faltar nada, o vocalista consegue deixar muito evidente o tom de dor mostrado pela banda, e assim que entra o vocal o instrumental também fica mais rápido, trazendo uma atmosfera ainda mais carregada, são 24 minutos de Black Metal de pura dor e ódio.

A segunda faixa intitulada “Satan My Master”, começa muito diferente da faixa anterior, porem, ela começa também dando um destaque maior para a guitarra que tem um som totalmente distorcido, um som muito antigo e digno da época do Black Metal clássico, aquele Black Metal que traz a podridão, que traz o lado obscuro e doloroso da alma.
Satan My Master é uma verdadeira música de tortura, você consegue notar a bateria rápida ao fundo criando um tom de retaliação muito grande e o vocal é a mesma linha do incrível Harsh Vocal agudo, totalmente agudo apresentado pela banda, e em alguns momentos você consegue entrar em um mundo que mostra um cenário muito tenebroso onde você se sente em uma sala com uma pessoa amarrada em uma cadeira e essa pessoa está sendo torturada lentamente, e a sala é totalmente aos pedaços, todos os objetos estão quebrados e banhados a sangue.

A faixa mais longa desse álbum vem agora, todo álbum tem uma faixa que se destaca, nesse caso as faixas são bem diferentes umas das outras, porem, todas dando um destaque maior para a guitarra totalmente atormentadora, e o vocal também é algo absurdo que traz muita agonia, e nesse caso a banda vem com toda a potência e técnica para fazer a música de número três do álbum, essa gigantesca música de 34 minutos intitulada “Suicide In The Light Of The Moon...”.
Essa música logo no começo já tem o vocal totalmente rasgado como se a alma do vocalista estivesse sendo rasgada em vários pedaços.
Muito diferente do que você pode pensar, essa música tem uma sonoridade bem construída e conta com um pedal muito interessante da bateria que cria um ritmo como se fosse a batida de um coração que estivesse batendo de desespero, de medo, de tudo que está por vir.
E antes que você acha que o vocal é só no começo, você pode ficar tranquilo que lá pelos 16 minutos de música o vocal volta, e volta tenebroso, volta com todo o lado agudo, como se fosse um grito saindo do mais profundo antro do inferno, onde as almas só sabem o que é a tortura sem fim.

E para encerrar esse álbum, a banda escolheu uma música da lendária banda do Black Metal Satanic Warmaster.
Sabemos que não é pra qualquer artista tentar fazer um cover de uma banda da potência do Satanic Warmaster, mas a banda veio e fez um cover muito bom e intitulado “Vampiric Tyrant (Satanic Warmaster Cover)” o álbum foi encerrado da melhor forma possível com uma faixa muito boa e de muito peso.

Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário