quinta-feira, 8 de maio de 2014

Bode Preto: Inverted Blood



O único padrão que eu sigo para escrever uma resenha é o trabalho de a banda ser bom, e quando eu falo de qualidade não estou dizendo de um trabalho que é feito só para vender, eu falo de uma música que é feita por um artista ou banda que gosta disso, que trabalha porque a alma precisa disso, e que por ser bom o trabalho acaba vendendo.
E com isso eu preciso falar de uma banda nacional, uma excelente banda nacional. Esse álbum eu ultimamente tenho visto muitas pessoas falarem dele, porem, ele foi lançado em 2012.

O álbum é o incrível “Inverted Blood”, da banda Bode Preto, esse álbum tem um nome já sensacional, e ele já começa impecável.

A primeira música intitulada “Anunciação”, é uma introdução tão incrível que faz o álbum começar em um nível muito maior do que você imagina.
A sonoridade dessa introdução, ou melhor, dessa faixa que abre o álbum é genial, e com o barulho de gotas caindo você consegue imaginar um batizado e assim que você escuta o vocal, você percebe que o batizado não é para ir para o paraíso, e esse amedrontador começo para o álbum faz com que ele ganhe ainda mais atenção de todos.

A faixa título aparece logo no começo a segunda faixa já é ela, “Inverted Blood” é uma música que nasce do profundo e obscuro inferno, essa música passa pelo Black Metal de uma forma sensacional, e ela carrega com ela um riff muito eufórico que junto com o barulho dos pratos da bateria faz com que você imagine que tudo está explodindo e pegando fogo ao seu redor, e como não se lembrar da magnífica técnica do vocalista, ele passa do Harsh Vocal, esse Harsh Vocal agudo que em momentos fica mais grave e varia em alguns momentos para o gutural, e com muita inteligência a banda coloca um solo de guitarra na música e tudo se encaixa perfeitamente, em determinados momentos o gutural ao fundo ganha mais destaque e isso da um tom de inferno ainda maior.

E falando de gutural, a banda aposta bastante nele e de forma muito bem trabalhada, pois na terceira faixa intitulada “Black Mirror”, a música já começa com ele criando uma atmosfera, e essa música é como se fosse uma verdadeira sala de torturas dentro do inferno, onde você está condenado á ficar para sempre, a bateria dessa música é sensacional e não para um minuto, essa música lembra bastante o Death Metal também, mas com toda a qualidade da banda ela consegue trazer o gutural do Death Metal e introduzir na sonoridade obscura do Black Metal sem deixar que a música vire Death Metal.

Esse álbum é completo, e ele tem uma estrutura tão complexa e tão bem feita que faça com que tudo está acontecendo no inferno, é como se alguém estivesse sido condenado para vagar no reino de fogo pra sempre e com isso ele é julgado, torturado e vai se tornando um demônio ao decorrer do álbum, é uma verdadeira obra prima com uma sonoridade única, essa banda é um verdadeiro orgulho do Metal nacional.

A música seguinte é a incrível e eletricamente elétrica “Children Of Suicide”, essa música não para em momento algum, é do começo ao fim eletrizante, e nessa música o baixo fica muito em evidência, você consegue ver o peso e a atmosfera completa que ele consegue construir, é claro que nas outras músicas também tem o baixo e ele é muito importante, mas nessa ele aparece destruindo e sendo incrível, muito bem explorado.

A faixa de número 5 que é intitulado “Elytron (Succubus)” é quase uma martelada, com um vocal parecendo quase que contando um numeral em gutural, essa música tem um tom mais Melodic Black Metal, e com essa sonoridade ela faz uma música tão boa que tira o fôlego, esse álbum é realmente completo.

A música “Amorphophallus Titanum”, a penúltima faixa do álbum é sensacional e ela tem uma introdução que é digna do Death Metal, mas a obscuridade dela não deixa o Death Metal nascer, e como não amar uma música com tanta qualidade?
É incrível a capacidade dos músicos de fazer uma música desse nível, provavelmente a melhor faixa do álbum.
E já para encerrar esse álbum que foi lançado em 2012, mas que até hoje ganha muitos fãs e não é pra menos, afinal, essa banda é incrível.
O álbum foi encerrado com a música “The Erection Of The Cross” , uma música excelente que dispensa comentários, é o final do julgamento do inferno mental e particular de cada um.



Postado por: Renan Martins

2 comentários:

  1. Sem dúvida, Inverted Blood é um disco incrível. Bode Preto honra o que há de melhor no Black/Death Metal brasuca.

    ResponderExcluir