sexta-feira, 16 de maio de 2014

Avzhia: In My Domains



Existem muitos países que tem uma grande base no mundo do Metal com bandas excelentes, mas existem uns que tem mais, e um deles é o México.

Esse país que tanto amo que é o México traz bandas excelentes, e isso serve para o Grindcore, Death Metal, Brutal Death Metal, mas no caso, hoje é Black Metal, e não poderia existir um blog que fala de banda underground sem falar da banda Avzhia.

Avzhia é uma banda incrível que tem uma sonoridade muito única, e é difícil fazer uma sonoridade única sem apostar em um subgênero do Black Metal, mas isso não foi impossível para essa banda que derrubou tudo que tinha em sua frente com um som totalmente obscuro e épico dentro do extremo e intenso Black Metal.

Falando do álbum “In My Domains”, essa banda já começa com uma arte de capa muito mística e excelente, com o Baphomet na capa, estampando toda a tenebrosidade em uma imagem com uma cor meio esquecida.

Começando o “In My Domains”, vem à faixa intitulada “Lost Souls”, uma das maiores músicas do álbum, que vem com muita potência, e com uma introdução mais que genial, com uma batida forte de tambores ao fundo, e uma orquestra.
O som tenebroso que faz a alma tremer da orquestra da ainda mais um tom de épico para a música, que não é um instrumental, essa música tem vocal, e não é um vocal qualquer, é um Harsh Vocal fechado com um tom grave que faz você querer ouvir mais e mais da música, uma excelente qualidade do vocal que cria uma perfeita junção com a orquestra eufórica ao fundo.
Se você está esperando a bateria e a guitarra nessa música, você vai achar, pois mais pra frente, entra a bateria em um ritmo cadenciado, mas que dita um cenário de uma máquina que esmaga as almas dentro do inferno, enquanto o Harsh Vocal muda para um tom agudo e de muita agonia.

A segunda faixa intitulada “The Lament” vem muito mais Black Metal e com uma atmosfera muito castelo das trevas onde tudo é escuro e esquecido, mas é um local onde existe uma alma que domina todo o território, a bateria rápida ao melhor estilo metralhadora aparece finalmente e a guitarra cria os riff’s rápidos em frequência média, o vocal é um Harsh Vocal da melhor forma que poderia ser, é muito interessante ver a junção do Harsh Vocal atingindo o Gutural em alguns momentos, essa junção, alem de deixar tudo mais interessante, deixa também o som mais pesado, mais carregado, mais atraente.

Seguindo para a terceira faixa, excelente faixa que começa de uma forma muito atmosférica, o som produzido no começo da música é como se tivesse um navio navegando e ele estivesse afundando lentamente pelo impacto da onda nele, e ninguém sobreviveu a esse impacto, essa música é um instrumental muito carregado, e conta com uns barulhos que parecem gritos do fundo do mar.

E se você estava ouvindo esse álbum e se perguntando se vai ter uma música “faixa título”, que estamos acostumados á ver na maioria dos álbuns, sim, esse álbum contem a faixa título e essa faixa é excelente, ela tem uma sonoridade incrível, impecável, e totalmente épica, ela carrega da melhor forma possível o nome do álbum que por sinal é um dos melhores, se não for o melhor lançamento da banda.

Com o nome do álbum “In My Domains”, essa música tem uma sonoridade do Black Metal clássico, porem não tem uma sonoridade cansativa, ela é bem construída, e tem muita melodia junto do vocal.
O começo da música, na introdução é constituída de um teclado excelente, esse teclado é a parte principal da música, ele cria um fundo muito poético para a banda que consegue trazer o lado totalmente da putrefação da alma. 
O vocal é excelente e a bateria conta com o pedal duplo, e isso é genial e a guitarra cria riff’s melódicos, sem dúvida as faixas título são sempre incríveis.

A faixa seguinte já vem com um peso totalmente diferente, ela muda do Épico para o lado obscuro e carregado, como se a morte estivesse indo em direção da sua alma, percorrendo toda a sua casa enquanto você se esconde.
Com o título de “Battle”, essa música é muito obscura e traz o Black Metal Old School para a vida, e essa música também conta com o teclado, aquele teclado de fundo que cria uma atmosfera perfeita para a música se tornar cada vez melhor, e falando em música boa vem à música seguinte que é tão excelente quanto essa faixa “Battle”.
Intitulada “Queen of the World”, essa música começa de uma forma também muito obscura e carregada, o som da orquestra ao fundo se misturando com o som de um vento, faz tudo ficar perfeito e ao mesmo tempo muito eufórico, e assim que a bateria entra, fica tudo muito aterrorizante, criando um clima muito perfeito, mas pode se dizer que assim que todos os instrumentos entram em perfeita junção, essa música é a que melhor retrata o Black Metal antigo no álbum, mesmo tendo bastante quebra de ritmo e muita melodia com foco no sintetizador ao fundo.

E para encerrar esse excelente álbum, que sem dúvidas é um grande lançamento do mundo do Black Metal, vem à faixa “Mystery”, essa faixa que é um instrumental totalmente carregado, totalmente potente e grave, uma música excelente, que não contem voz, e consegue ser tão aterrorizante quanto uma que tem, essa banda conseguiu lançar um álbum completo, que começa excelente e termina épico.




Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário