sábado, 17 de maio de 2014

Alastis: Revenge



A cor vermelha e branca da bandeira da Suíça nunca foi tão bem representada quanto agora com a banda Alastis.

Alastis tem uma sonoridade muito única, e é realmente muito única, ela tem riff’s diferentes, tem um vocal muito interessante e muito bom de ouvir, e tem um som cadenciado que traz toda a melodia e faz a atmosfera perfeita para o Black Metal.

Poucas pessoas infelizmente conhecem essa banda, que é de verdade uma pena, pois essa banda tem uma potência incrível, e pode ser considerada uma das melhores, ou uma das que tem um dos álbuns mais completos do mundo do Black Metal.

O motivo disso tudo é que a banda sabe explorar cada pedaço obscuro e esquecido no lado da mente, a verdadeira potência vem da alma, e a banda sabe usar isso ao seu favor, e no álbum intitulado “Revenge” a banda se superou e lançou um álbum mais que marcante, um álbum magistral.

Começando esse álbum que tem uma arte de capa já muito interessante apostando em uma cor vermelha muito intensa e um rosto ao meio das chamas do inferno, vem à primeira música intitulada “Just Hate”, essa música começa com uma guitarra muito aguda e um baixo extremamente impecável, esse é um dos motivos pelos quais essa banda consegue se superar em quase tudo, o baixo dela é muito potente, muito carregado, e faz com que você se sinta muito no sentimento da música.
Diferente do que estamos acostumados á ver no Black Metal tradicional, essa banda tem uma sonoridade muito mais cadenciada, riff’s pesados, tudo muito mais melódico, e sinceramente, não teria nada mais perfeito para combinar com essa banda que é impecável.

A segunda música vem tão incrível, tão potente quanto à outra.
E intitulada “Burnt Alive”, ela já começa em um tom mais épico, um tom mais eufórico e atmosférico.
São poucas as bandas que conseguem traduzir tão bem assim o seu sentimento, e isso não foi problema para essa banda que supera barreiras, e nessa música ela aposta muito na obscuridade, é como se você estivesse caminhando em direção ao monte onde sua alma será levada pelo pacto profano, e com muita inteligência a banda conseguiu construir o som e utilizar um sintetizador ao fundo que da um tom muito mágico para a música, dando uma paz no caos obscuro da alma.

Se você imagina que esse álbum está bom, e que ele não pode ficar melhor, você está totalmente errado, pois essa banda consegue surpreender todo momento, e na faixa seguinte intitulada “Eternal Cycle”, essa banda criou uma base tão impecável de baixo que parece que tem um exército indo em sua direção para destruir sua alma, e com muita técnica e muito sentimento a banda consegue fazer um som de classe A.
O vocal dessa banda é bem diferente das outras de Black Metal tradicional, essa banda tem tudo diferente na verdade, ela é única e muito difícil de ser superada.
A faixa “Eternal Cycle”, mostra toda a extensão vocal com urros longos e o Harsh Vocal não apresenta uma sonoridade totalmente aguda, o vocal na verdade tem um tom muito mais 

puxado para o grave, e isso da uma qualidade muito grande para a banda, pois faz ela ser destacada mesmo estando junta de outras, e falando em música boa já emendado vem a faixa seguinte intitulada “Sacrifice”, essa faixa é bem mais cadenciada que as faixas anteriores, ela tem uma bateria mais cadenciada, uma bateria com batidas lentas, mas isso em sua introdução, e mesmo quando fica mais rápido, não fica extremamente rápido, o vocal consegue transmitir toda a sua raiva e isso é formidável, o sintetizador também ganha muito destaque criando uma atmosfera muito eufórica e poética ao fundo.

Ecstasy é uma faixa que consegue dar um tom mais focado no sintetizador ao fundo, ele consegue em sua introdução criar uma atmosfera tão incrível que muda totalmente o rumo da música, mas o baixo dessa música também consegue um destaque, e ele é surpreendente que consegue sempre deixar a música mais interessante, mais completa, e puxando diretamente para a próxima faixa, essa faixa que traz a mistura perfeita da calmaria com a tenebrosidade.
Intitulada “Like A Dream”, essa música começa com um toque de guitarra muito atmosférico e muito melódico, essa banda tem bastante a cara do Melodic Black Metal, e essa música traz isso da melhor forma possível, esse toque de guitarra deixa tudo muito melhor, e da uma paz para a alma, ao mesmo tempo que você se sente caminhando em um local escuro com seu manto preto.

A penúltima faixa vem com uma energia muito grande, provavelmente a faixa que mais carrega a energia no álbum, e intitulada “Agony”, ela surpreende de mais com a guitarra e a bateria em uma velocidade maior, a guitarra é distorcida ao nível de Death Metal e isso da uma qualidade muito impecável pra banda, que mesmo contando com uma distorção assim consegue ainda deixar vivo o Black Metal Old School.
O vocal dessa música não precisa nem ser comentado, ele é perfeito e consegue sintetizar toda a euforia do espírito, e mesmo na quebra de ritmo, essa música consegue se encaixar perfeitamente.

Chegando infelizmente no fim desse álbum que é supremo, vem a última faixa, a faixa que todo mundo sempre espera por ser a melhor.
A última música do álbum é a famosa faixa título, “Revenge”, e essa música não deixou faltar nada para o encerramento do álbum.
Ela conta com uma guitarra muito tenebrosa e muito carregada, a bateria está mais pesada, e essa banda mostra como é encerrar o álbum da melhor forma possível, uma banda que alavancou a Suíça no cenário obscuro.



Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário