sexta-feira, 25 de abril de 2014

Sargeist: Feeding the Crawling Shadows




Novamente estamos aqui com um álbum excelente, underground e de uma banda que vem do país mais impecável de todos no metal, que á Finlândia.

A banda Sargeist vem com um novo álbum intitulado “Feeding the Crawling Shadows”, e a banda nunca decepciona, e nesse álbum ela traz uma sonoridade tão incrível quanto o restante da sua carreira.

A primeira música do álbum já começa com o título do CD “Feeding the Crawling Shadows”, a música começa com uma atmosfera aterrorizante, como se estivesse pronto para acontecer uma revolução no planeta, e assim que começa o instrumental você pode notar uma incrível e impactante sonoridade, o profundo vocal faz com que você imagine uma voz que está ecoando no fim de um túnel, só que esse túnel está ligando o nosso planeta com o inferno.
A música já começa deixando claro que o trabalho que está por vir será totalmente retalhado da melhor forma possível do Black Metal das antigas

A segunda faixa é tão eletrizante quanto à primeira, mas começa com um ritmo com uma melodia mais evidente, intitulada “In Charnel Darkness”, a música conta com riff’s muito melódicos e de muita classe, que deixa o álbum com mais brilho, mas não algo fraco, mas um brilho obscuro de tortura do espírito humano, o baterista mostra toda a sua técnica e mostra a qualidade que é ótima, e mostrando que é incansável, a junção se tornou perfeito com a voz que é totalmente rasgada no Harsh Vocal que mostra muito a dor do vocalista, e sem deixar a velocidade acabar, a música vai ficando cada vez mais distorcida e incrível, uma potente faixa desse álbum que já inicia o ano de 2014 com o pé direito.

Muito diferente das faixas anteriores, a “Unto the Undead Temple” começa com uma guitarra em um riff muito interessante e solto, com uma leve distorção ele dita um ritmo de muita energia, e assim acontece com a bateria que vai crescendo conforme vai avançando a música, e nessa faixa é muito interessante observar que o lado melódico toma mais conta do ambiente.
Unto the Undead Temple conta também com um vocal Harsh Vocal aberto e agudo que entra em junção com um Gutural muito fechado que fica ao fundo dando apoio, fazendo com que o som se torne ainda mais completo e pesado, e muito diferente dessa faixa, vem a seguinte que é intitulada de “Snares of Impurity”, essa faixa é eletrizante em seu começo e ganha uma potência muito grande com o lado cadavérico ainda mais evidente, o vocal está muito aberto e com isso ele consegue demonstrar um lado de dor que fica maior a cada grito, é incrível a capacidade da banda de fazer um som tão intenso do começo ao fim.

E para continuar com essa loucura toda desse álbum inquieto formado no caos do inferno, vem à faixa “Return of the Rats”, uma verdadeira pedrada no peito.
Tão intensa quanto poderia ser e com uma mescla perfeita da melodia criada nos rápidos riff’s, o vocal dessa música começa com Harsh e mais para o meio da música ela muda para o gutural fechado e aterrorizante, uma verdadeira forma de demonstrar o lado obscuro de uma natureza distorcida na mente de todos.
A música tem 3 minutos e 51 segundos e é do começo ao fim uma pancada que não para um minuto.

A provável melhor música do álbum é também uma que tem uma introdução muito mais puxada pro lado carregado e obscuro que demonstra a tenebrosidade da alma, intitulada “Inside the Demon's Maze”, a música começa com um riff muito interessante e tem um vocal de ódio com tristeza muito interessante, uma música muito única com uma bateria eletrizante e retalhadora.

E para encerrar o álbum vem à música “Funerary Descent”, e se você espera por algo calmo que faz você terminar o álbum com o a alma quieta, você está enganado, a música é eletrizante do começo ao fim e não deixa ninguém botar defeito, é sem dúvidas uma carga de energia demoníaca que faz com que você fique pensando na banda pelo resto do dia, um álbum excelente que inicia o ano da melhor forma possível.




Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário