segunda-feira, 28 de abril de 2014

Carpathian Forest: Morbid Fascination of Death




A Noruega foi o principal país no meio do mundo Black Metal, a Catapulta do gênero tão intenso e impecável está nesse país escuro e gelado.

Claro que vindo da Noruega as bandas apresentam uma sonoridade muito única do Black Metal, e sempre representada por grandes bandas à Noruega nunca decepciona, e dessa vez quem carrega a bandeira Norueguesa é a incrível banda “Carpathian Forest”.

Carpathian Forest é uma banda que surpreende com seu som incrível, e em seu álbum “Morbid Fascination of Death” a banda apresenta um trabalho de outro mundo, com um nível absurdo de qualidade, e logo na primeira música você já se espanta com tamanha qualidade e criatividade para construir uma música trazendo uma sonoridade complexa e muito interessante com sua estrutura totalmente tenebrosa e carregada trazendo as trevas junto dela.
Com essa primeira faixa intitulada “Fever, Flames And Hell”, a banda conseguiu dar o tom ideal para começar o álbum, com uma bateria marcada como se estivesse ditando o ritmo da caminhada de Lúcifer, a banda conseguiu sem dúvidas escolher uma das melhores faixas para iniciar um álbum, pois a música te prende, e você fica querendo ouvir cada vez mais.

A segunda faixa intitulada “Doomed To Walk The Earth As Slaves Of The Living Dead”, começa com o vocal totalmente rasgado com o puro Harsh Vocal, e assim que vai avançando a música vai ficando mais agitada e com mais energia.
Se você conhece muitas bandas de Black Metal, você pode perceber que a maioria está sempre trazendo uma atmosfera mais dolorosa e de fúria, mas essa regra não se aplica para o Carpathian Forest, pois a banda traz uma sonoridade totalmente tenebrosa com uma atmosfera muito negra onde parece que tudo vai ser destruído e todos os puros de coração serão levados para o castigo eterno, e com uma bateria sensacional essa música começa com o lado mais eletrizante da banda, o vocal é sensacional e não apresenta em momento algum uma sonoridade repetitiva.

A faixa seguinte de número 3 intitulada “Morbid Fascination Of Death”, já começa pesada e cadavérica, e de forma muito interessante à banda traz o Black Metal Old School para a vida e não deixa a sua atmosfera obscura de lado, tornando ainda mais interessante o Black Metal, e com uma construção muito inteligente a banda consegue deixar evidente todos os instrumentos e conforme a música vai avançando você consegue notar a importância do baixo tenebroso, da guitarra rápida e da bateria que carrega a fúria.

E se para muitos é importante um álbum ter músicas boas seguidas então nesse álbum não vai ter esse problema, pois todas as músicas são impecáveis, uma melhor que a outra, e mostrando sempre a qualidade completa dos músicos que construíram uma base tão incrível para suas músicas, e nessa quarta faixa intitulada “Through Self-Mutilation”, a banda já começa com mais da sua tenebrosidade e carrega as trevas com ela, e assim que a música começa é muito fácil cair no cenário onde você está perdido em meio á um lugar cercado de dor e tristeza, mas carregado pelo ódio você acaba torturando as pessoas junto dos carrascos.
A música tem um destaque muito grande no baixo e no pedal duplo, que juntos fazem uma verdadeira máquina que peso, e com uma quebra no ritmo em alguns momentos a banda mostra a sua sonoridade como se fosse um trator que destrói tudo que está em sua frente, e não deixa faltar nada em todo o seu trabalho.

Knokkelmann a faixa seguinte vem trazendo uma sonoridade não tão rápida, ela é o exemplo vivo da cadência junto da densidade, mas isso não por muito tempo, a bateria em certos momentos fica um pouco mais rápida, e a raiva mais uma vez é colocada como destaque nesse impecável álbum, diferente um pouco da faixa seguinte intitulada “Warlord Of Misanthropy”, uma música que traz um pouco mais do lado da dor do que o lado da fúria, mas que não deixa de ser impecável e impactante.

E para provar como a banda tem qualidade e moral ela escolheu para ser a penúltima música a faixa “Ghoul ” sim a lendária música do Mayhem, e sinceramente esse cover ficou melhor que a original, mas como sempre digo, isso varia muito de quem está avaliando e ouvindo, mas independente do que a pessoa achar se ficou melhor ou não, esse cover só mostrou mais ainda a qualidade dessa banda sensacional e impecável da gelada Noruega.
E para encerrar essa obra prima a banda escolheu a música “Nostalgia”, uma música que é de tirar o fôlego, e que sinceramente, é absurdo a por completo, é muito impecável esse trabalho e a introdução que carrega a morte com ela com um toque grave junto da voz rasgada faz uma atmosfera excepcional, e assim a música fica por completo, encerrando o álbum “Morbid Fascination of Death” da melhor forma possível, provando que é uma das melhores bandas vivas do Black Metal até hoje.



Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário