domingo, 30 de março de 2014

Negativvm: Hvngerkvnst



O Black Metal sempre esteve em constante mudança, trazendo sempre novos elementos, elementos que fizeram nascer o incrível Melodic Black Metal, e até mesmo o impecável Symphonic Black Metal, e a banda Negativvm faz uma junção bem diferente, com uma sonoridade carregada, rústica lembrando até o Depressive Black Metal, mas com músicas grandes trazendo algo mais progressivo.
O álbum que traz essa sonoridade diferente é o “HVNGERKVNST”, e não se engano, não é pelo fato de ter uma sonoridade mais progressiva que ela deixou de lado as características do Black Metal Old School, a banda manteve o vocal rasgado, a bateria rápida em alguns momentos, mas pode ser notado muito claramente o tom dramático da banda pelo som ser mais pro carregado que para o extremo da velocidade retalhada da bateria.

A primeira faixa “Schneeblinder Bruder”, é um magnífico conjunto de dor, e euforia, junção que percorre pelo álbum todo momento.
Com uma introdução de vozes fazendo uma espécie de reza, o instrumental vem logo em seguida trazendo um som muito bom de ser ouvido, o baixo da banda sempre fica em destaque, dando um toque mais que especial para esse álbum muito bem produzido e muito bem composto, e quando você acha que a faixa vai ser só instrumental, você se engana e se depara em uma repentina metralhadora retalhada junto à riff’s rápidos digno do Black Metal das antigas, mas a proposta da banda não é atacar com essa velocidade rasgando os tímpanos, e sim trazer uma atmosfera mais completa para preparar o terreno para sua sequencia de sofrimento.

Já muito diferente da primeira faixa, a segunda intitulada “Wie man einen Kopf macht” começa já bem mais rápida, e dando um destaque impecável para o baixo, e que faixa impecável.
Negativvm não é uma banda que está no fone de todos, ela está no underground, e ela consegue fazer um som tão underground quanto, e isso faz dela ainda mais única.
A sonoridade do baixo que cria uma verdadeira turbulência no som faz com que as músicas fiquem cada vez mais eufóricas.

Com a aposta nessa sonoridade mais progressiva e passando até pelo Depressive Black Metal as músicas do álbum ficaram grandes, em torno de 11 minutos, e mesmo que isso pareça ser cansativo, o instrumental da banda consegue fazer uma atmosfera tão bem criada que não cansa de ouvir, então uma música de 11 minutos se torna algo de 2 minutos, pois você não vê o tempo passar de tão boa que são as músicas.

 Ohne Trost a terceira faixa, e provavelmente a melhor do álbum, com esse baixo magnífico de começo você consegue imaginar a banda toda tocando em uma casa abandonada, com espelhos quebrados e o vocalista cantando sentindo toda a dor da existência.

Os interlúdios dessa faixa fazem com que você sinta seu coração quase pular para fora do peito enquanto você ajoelha no chão e chora sorrindo esperando a morte chegar, e com a voz de uma mulher em meio ao instrumental, o clima fica ainda mais carregado, ainda mais triste, ainda mais esquecido, e ao decorrer da faixa, você pode notar nitidamente o sentimento carregado da banda.


E para encerrar o álbum a banda chega com a faixa de eletrizante início, intitulada “Schreienede Leiber” as baterias e riff’s não param um minuto no começo, e o decorrer da faixa o som vai ficando mais perturbador, e o solo de guitarra no fim, faz com que esse álbum seja encerrado da melhor forma possível.




Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário