segunda-feira, 3 de março de 2014

Black Faith: Jubilate Diabolo



Do rustico e antigo Black Metal, hoje em dia ainda existem bandas que seguem o bom lado obscuro e retalhado de quando nasceu esse gênero magnífico que cria a perfeita atmosfera entre a tenebrosidade e a intensidade.

Se muitos dizem que o Black Metal está morto, o Black Faith mostra o contrário, e consegue mostrar isso com muita classe.

Se preocupando dês do começo até com a arte de capa, a banda estanca toda a obscuridade em sua arte do álbum Jubilate Diabolo, o capa é tão bem feita, que consegue fazer o álbum quase ganhar vida própria.

Começando com a primeira música intitulada "My Walk in the Dark", a banda já começa com o pé direito, com um som baixinho que vai crescendo e mostrando a retalhação, como de costume a faixa começa com um urro do mais puro Harsh, e muita energia, a música ganha com a quebra do ritmo um lado mais cadenciado, mas assim deixa em destaque o vocal, um vocal excelente que lembra até a incrível voz do vocalista Demonaz.

Sem perder toda a energia e toda a tenebrosidade a banda segue para a sua próxima faixa, intitulada "Beyond the Night", um som com uma introdução que lembra muito as gravações no meio de uma floresta, a música é muito crua e o vocal mais uma vez consegue o destaque, mas sem ofuscar os instrumental, a guitarra que deixa o clima muito caótico, parecendo que tem corvos voando por todo lugar e uma bateria que parece uma maquina destruidora de vidas, trazendo o lado das trevas para a vida novamente.

Seduced by the Evil One vem logo em seguida tirando o folego, com um vocal que em certos momentos se junta com um gutural um fechado ao fundo dando um tom possuído ainda maior pra essa banda que cria uma obra prima com esse magnífico álbum, essa faixa é muito interessante porque ela segue uma linha totalmente mais cru que as outras faixas, tornando ainda assim, isso mais atraente e mesmo com a quebra de ritmo, a banda consegue fazer com que os fãs imaginem o cenário de uma cavalaria queimando tudo que vê pela frente, e se não fosse o bastante a faixa seguinte intitulada "Thy Vital Breath", é só a melhor do álbum,  com um começo impecável com um solo de bateria que parece uma metralhadora atirando e com cada bala levando uma alma diferente, e quando entra a guitarra o caos só fica maior, e com muita facilidade conseguimos imaginar os cenários de tortura sem fim.
A faixa é uma parte muito atraente do álbum, e o que se torna mais interessante ainda, é que a banda conseguiu sintetizar tudo que aposta junto com o Black Metal old School em seu primeiro álbum, e com o pé direito a banda conseguiu lançar seu primeiro álbum com faixas sensacionais e uma escolha perfeita de instrumental e arte de capa.

Padre Mithra é uma faixa bem mais rápida do que as outras em sua introdução, e ao decorrer da faixa o ritmo quebra, e da um tom bem mais denso pra música que é excelente, parecendo um julgamento nas masmorras esquecidas do mundo de fogo.

A música mais cadenciada provavelmente é a faixa "Black Nocturnal Lithurgy", que faixa sensacional, um vocal totalmente retalhado, totalmente feito com o sentimento da dor, da um toque ainda mais sensacional para essa faixa, que consegue quase superar a faixa "Thy Vital Breath", a faixa ainda conta com uma quebra absurda no ritmo onde fica o baixo dando um clima obscuro de esquecimento com apenas a bateria seguindo, e o vocal trazendo toda a dor para a faixa.

 Se você está se perguntando onde está a faixa com o nome do álbum que as bandas tanto gostam de usar, aqui está, e ela é a que encerra esse excelente álbum.
Intitulada "Jubilate Diabolo", a música não deixa faltar nada, e foi sem dúvida a escolha perfeita para o encerramento desse álbum que fez o Black Faith subir um patamar no Black Metal


Confira o trabalho da banda abaixo:




Postado por: Renan Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário