sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

D.A.M: Entrevista com uma das maiores apostas dos últimos anos do cenário nacional




A primeira vez que o G.Grind consegue fazer uma entrevista que não é muito o foco do blog, mas essa precisava sair!

Com o Vocalista/Tecladista da banda D.A.M "Guilherme", vem trazendo seu trabalho que é mais uma das obras primas do cenário nacional, aquele projeto solo que faz qualquer um aplaudir de pé porque sem dúvidas essa mistura, essa diferença do projeto é muito cativante, muito bem feita, e o músico conseguiu mostrar com o D.A.M que a força de vontade pode sim realizar seus sonhos.

G-Grind
Como tem sido a receptividade do público e a mídia especializada desde o lançamento da primeira música do álbum “Tales of the Mad King”?

Guilherme- A receptividade está sendo ótima! D.A.M é conhecido em diversas partes do mundo como Japão, Rússia, Estados Unidos e por toda a Europa e América Latina( sem falar nos Damers brasileiros que são extremamente leais e insanos!)A mídia especializada gostou bastante das diversas influências que o Tales possui e isso nos garantiu diversas notas máximas em vários veículos, entrevistas ao vivo para rádios americanas e entrevistas  muito bacanas como esta : ) .

G-Grind
Houve dificuldades na criação do álbum?

Guilherme- Na criação não, durante a gravação tive alguns problemas pessoais que me desgastaram bastante o que acabou fazendo com que o álbum saísse um bocado depois do planejado (Outubro), felizmente consegui superar todos esses problemas e acabou que eles foram peças-chave na conclusão desse álbum e no posterior desenvolvimento da Trilogia que o Tales faz parte.

G-Grind
O álbum teve uma repercussão que você imaginava?

Guilherme- O D.A.M fez conquistas importantes com esse álbum e eu fiquei muito satisfeito com a repercussão , entretanto há muito para se trabalhar ainda e coisas importantes para se conquistar. Da minha parte continuo trabalhando bastante e acho que as pessoas sentem isso ao escutar os álbuns e acabam gostando, então me sinto bastante feliz com isso.

G-Grind
E como foi o processo de composição?


Guilherme- A maior parte das músicas foi composta em 2009, na época em que eu tocava na Excaliburn(As exceções são Crusader´s Quest que foi composta em 2007, e “The Wizard´s Oracle” e “Tales of the Mad King” que foram compostas em 2013). O processo composicional foi idêntico ao do Possessed eu escrevi todas as músicas e todos os instrumentos pensando sempre em “Desenvolvimento de motivos” e “Unidade temática” que são a principal influência de música erudita no D.A.M e o que confere certo caráter inédito com esse tipo de influência da música clássica. Eu escrevo todos os instrumentos porque tais técnicas são um trabalho extremamente minucioso feito com um nível alto de detalhes e o trabalho fica mais coerente ao compor tudo sozinho, de acordo com a proposta do D.A.M claro.

G-Grind
Quais são os planos da banda para 2014?

Guilherme- Planejo completar a formação e fazer alguns shows ao vivo, caso isso não seja possível lançarei ao menos mais um ep e outro álbum, dando sequência à trilogia( a trilogia são 3 álbuns e cada álbum possui um EP que funciona como uma espécie de Prelúdio)

G-Grind
O D.A.M carrega uma linha única de criação com a incrível energia que podemos notar no álbum "Tales of the Mad King", ou podemos futuramente nos depararmos com um álbum mais cadenciado ou até mesmo mais puxado pro lado brutal?

Guilherme
- Você pode sempre esperar o mesmo padrão de qualidade, D.A.M sempre será D.A.M. Entretanto novas influências virão a tona para a galera que acompanha o D.A.M, pois até agora boa parte das músicas lançadas foram feitas em 2009, eu tinha uma outra cabeça e outros tipos de influência.O que virá pela frente é a soma dessas influências antigas com as mais recentes que possuo, amadurecidas por 5 anos de estudo!






G-Grind
Bandas como Silent Cell, Eminence, In Nomine Belialis, lançaram álbuns nos últimos anos, você acha que com o lançamento dessas bandas que não são nem Thrash nem Death Metal que é o que predomina no Brasil, podemos notar que o cenário do Metal Nacional está se expandindo e trazendo cada vez mais pessoas interessadas em fazer um som diferente?

Guilherme
- O Brasil sempre possuiu bandas interessadas em fazer um tipo diferente de som. Como sempre escutei Power metal , por exemplo,as bandas que eu conhecia eram desse estilo e o Brasil possui bandas dos principais sub-gêneros de heavy metal com toda certeza.Talvez o que esteja em evidência agora sejam as bandas que não são Thrash ou Death e talvez por isso acabamos tendo essa impressão que esse tipo de som está ganhando espaço apenas agora. Eu particularmente espero que bandas de todos os tipos consigam se destacar e fazer um bom trabalho pois o que importa é a qualidade sonora e não como daremos nome para isso.

G-Grind
Muito obrigado pela entrevista, e agora deixo o espaço para você!

Guilherme
- Eu que agradeço pela entrevista meu grande amigo Renan : ), galera não deixe de conferir sempre as notícias aqui no Blog G.Grind pois o nosso amigo aqui Renanzito sempre trás as melhores e mais desconhecidas bandas para a galera conhecer sempre dando espaço para todos! Parabéns pelo trabalho meu amigo!
Para a galera que se interessar você pode ouvir o D.A.M no Soundcloud e acompanhar mais novidades em nossa página do Facebook ou em nosso Twitter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário